ACS-PE pede ao Governo de PE prioridade na vacinação dos Policiais e Bombeiros Militares na vacina contra a Covid-19

Em ofício encaminhado pelo presidente da associação Albérisson Carlos, é pedido que se leve em consideração os profissionais desta categoria, pois atuam na linha de frente no combate do novo coronavírus.

Confiante na vitória, Albérisson Carlos vota neste domingo no Recife
Albérisson Carlos comemora autorização do STF para armar os Guardas Municipais
Presidente da ACS-PE comemora inclusão de Policiais e Bombeiros Militares no grupo prioritário para receber vacina contra covid

Em ofício encaminhado pelo presidente da associação Albérisson Carlos, é pedido que se leve em consideração os profissionais desta categoria, pois atuam na linha de frente no combate do novo coronavírus.

A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados Policiais e Bombeiros Militares (ACS-PE), por meio de seu Presidente Albérisson Carlos, apresentou ofício ao Governo de Pernambuco na terça-feira, 26 de janeiro, solicitando a inclusão dos Policias e Bombeiros Militares no primeiro grupo prioritário para receber a vacina contra Covid-19.

O pedido se baseia dois enformes técnicos emitidos pelo Ministério da Saúde sobre o Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19, publicados em 19/01/2021 e 23/01/2021 respectivamente, que indicou os profissionais de segurança pública como público alvo prioritário na campanha de vacinação, levando em consideração critérios de exposição ao vírus e por consequência a infecção.

“O que pedimos no ofício enviado pela ACS é nada mais do que a lógica quanto aos profissionais que atuam diretamente na linha de frente. Os Policiais e Bombeiros Militares estão mais que expostos e entrarem nesse primeiro momento como grupo prioritário para receber a vacina é um alento para esses guerreiros e guerreiras da segurança pública de Pernambuco. Estamos otimistas que nosso pleito será aceito, afinal, estamos apresentando documentos do Ministério da Saúde que só confirma a importância dessa questão”, disse Albérisson Carlos.

COMMENTS