Agências ONU apoiam projeto de prevenção à violência

Representante do ONU-Habitat, Daphne Besen, teve reunião de trabalho com secretário Cloves Benevides e secretárias executivas Paula Guedes e Dora Lima

Nova lei originária de projeto de Alessandra Vieira garante prioridade na abertura de empresas para famílias de pessoas com deficiência
Saravida receberá doações arrecadadas durante Live da cantora Damares
Parceria garante emprego de egressos do sistema penal

Representante do ONU-Habitat, Daphne Besen, teve reunião de trabalho com secretário Cloves Benevides e secretárias executivas Paula Guedes e Dora Lima

A Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas iniciou, nesta terça-feira (dia 19), a instalação do escritório do projeto que desenvolve em conjunto com três agências das Nações Unidas. Através da Secretaria, são parceiros do Governo do Estado o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). O projeto também tem a participação do Instituto Igarapé, organização com sede no Rio de Janeiro que atua na integração das agendas de segurança e desenvolvimento, com foco em pesquisas.

O secretário Cloves Benevides recebeu a representante do ONU-Habitat Daphne Besen, acompanhado das secretárias executivas Paula Guedes e Dora Lima. A reunião de trabalho foi no gabinete do secretário, em Santo Amaro, Recife. “É mais uma etapa de fortalecimento das políticas de prevenção a partir dos esforços com a estrutura das Nações Unidas e das equipes da secretaria, com vistas a mudar a realidade dos territórios vulneráveis”, disse Cloves Benevides.

A parceria multiagência no tema da prevenção social ao crime e à violência é considerada inédita no Brasil, de acordo com Daphne Besen. Ela acredita que o modelo da parceria tem um grande potencial ao reunir as especialidades de cada agência, somando para o trabalho da prevenção à violência. “O ONU-Habitat tem um olhar atento para os espaços públicos, da mesma forma que o PNUD se detém com atenção ao desenvolvimento humano e o UNODC para as situações envolvendo crime e drogas – isso sem esquecer o Instituto Igarapé, que representa uma observação da sociedade civil em todos os processos relacionados com a parceria”, comentou Daphne Besen, do ONU-Habitat.

ESTRUTURA – Depois de concluídas as formalidades legais, o escritório do projeto com as três agências da ONU está sendo instalado para início dos trabalhos com a equipe contratada. O projeto visa produzir informações qualificadas sobre os 74 territórios de vulnerabilidade social prioritários, mapeados pela Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas em conjunto com a Secretaria de Defesa Social e com a Secretaria de Planejamento e Gestão; desenvolver estratégias de integração da população mais vulnerável aos espaços urbanos; sistematizar a experiência dos programas do Estado, compartilhando os resultados obtidos como exemplos de boas práticas nacionais de prevenção social; desenvolver conhecimento e metodologias inovadoras; além de promover ações piloto voltadas ao fortalecimento da prevenção social ao crime e à violência em Pernambuco, dando ênfase à promoção de ações intersetoriais de prevenção à violência.

O projeto possui quatro eixos, que correspondem aos resultados intermediários esperados. O primeiro eixo prevê a produção de insumos para o fortalecimento de iniciativas e práticas na área de prevenção social ao crime e à violência. O segundo eixo tem como referência as metodologias de gestão de informações e conhecimento para subsidiar a formulação de políticas públicas de prevenção social ao crime e à violência, com foco especial para os espaços públicos. O terceiro eixo prevê a elaboração de estratégia de formação e de desenvolvimento de capacidades para fortalecimento da prevenção social ao crime e à violência. O quarto eixo prevê a gestão eficiente e gestão de conhecimento do projeto realizada.

O projeto tem vigência prevista até julho de 2022 e todas as atividades serão realizadas usando metodologias e ferramentas das agências, internacionalmente reconhecidas. As políticas beneficiarão as populações dos territórios priorizados no projeto, mas também as autoridades e servidores responsáveis pelo planejamento e implantação de políticas e programas que impactam na qualidade de vida do povo Pernambucano. A consolidação das políticas de prevenção terá efeito na sensação de segurança pública e social para toda a população do Estado.

COMMENTS