Arcoverde: TRE-PE julga novo pedido de cassação de Wellington da LW na próxima semana

Saiba mais informações clicando no link

ARCOVERDE – PSB afirma que Madalena Britto vai conduzir escolha de candidato à sucessão
ARCOVERDE – TRE cassa chapa de Wellington da LW e Israel por 7×0
FBC e Antonio Coelho visitam lideranças do Agreste e Sertão

A véspera do São João em Arcoverde promete ter uma expectativa além do forró e das fogueiras que não vão poder ocorrer devido a pandemia, mas promete pegar fogo na política. É que dia 23 de junho, quarta-feira, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) vai julgar o recurso eleitoral (11548) N° 0600494-55.2020.6.17.0057 interposto pelo atual prefeito e seu vice, Wellington Maciel (MDB) e Israel Rubis (PP), respectivamente, e a ex-prefeita Madalena Britto (PSB) contra a segunda cassação de mandato determinada pela 57ª Zona Eleitoral em Arcoverde.

O julgamento está marcado para as 14h00 e poderá ser acompanhada pela página do tribunal no Youtube, ao vivo. Caso o TRE confirme a cassação do diploma e a suspensão dos direitos políticos de Wellington, Israel e da prefeita Madalena Britto (PSB), por oito anos, determinado pelo juiz eleitoral do município, Dr. Drauternani Pantaleão, a prefeitura poderá mudar de prefeito novamente, reassumindo o comando do município, novamente, o vereador e presidente da Câmara Municipal, Wevertton Siqueira.

O recurso a ser julgado é em torno da ação de Investigação Judicial Eleitoral (Nº 0600494-55.2020.6.17.0057) por abuso do poder Político, na qual a justiça eleitoral de Arcoverde determinou a cassação dos diplomas de José Wellington Cordeiro Maciel e Israel Lima Braga Rubis, eleitos prefeito e vice, respectivamente, proferida no dia 10 de dezembro de 2020. A ação tratou das irregularidades constatadas durante a realização da carreata realizada pela Coligação União por Arcoverde, dia 1º de novembro, que apoiava a chapa Wellington da LW/Delegado Israel.

Esta é a segunda ação que pede a impugnação da chapa Wellington da LW/Delegado Israel que já foi julgada, ambas desfavoráveis aos eleitos. Da primeira, ocorrida em 13 de novembro de 2020, através de uma decisão monocrática no Ministro Alexandre Moraes do TSE, os políticos voltaram ao poder no início de junho. Essa primeira cassação ainda será julgada pelo Pleno do Tribunal Superior Eleitoral. Ontem (17), acabou o prazo para os advogados de Wellington, Israel e Madalena peticionarem as contra razões junto ao TSE.

COMMENTS