Assembleia Legislativa de Pernambuco inicia atividades do projeto social Alepe Acolhe

Assembleia Legislativa de Pernambuco inicia atividades do projeto social Alepe Acolhe

Saiba mais informações clicando no link

Exclusivo – Confira quais deputados emplacarão a presidência de comissões na ALEPE
Eriberto Medeiros recebe novo comandante da PMPE e debate prioridades da corporação
ALEPE abordará impactos da Reforma da Previdência em Seminário

A Assembleia Legislativa de Pernambuco iniciou nesta segunda as atividades do projeto social Alepe Acolhe, idealizado pelo deputado estadual Clodoaldo Magalhães, em parceria com o Tribunal de Justiça de Pernambuco. A cerimônia marcou o acolhimento de Valéria Lima e Xaiâne Amâncio, adolescentes selecionadas para o projeto pelo juiz da 2 vara da Criança e do Adolescente, Élio Braz.

Compondo a mesa também estavam presentes o presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, o Secretário Estadual de Desenvolvimento Social, Criança e e Juventude, Sileno Guedes, o Superintendente da Superintendência de Gestão de Pessoas da Alepe, Enoelino Júnior, a Promotora de Justiça do Ministério Público de Pernambuco, Ana Maria da Fonte, o Secretário Adjunto da Casa Civil, José Maurício e o Vereador do Recife, Eriberto Rafael.

“Grandiosos são os momentos nos quais temos a satisfação de fazermos o bem. O Alepe Acolhe me traz essa felicidade. Hoje estamos cumprindo uma das etapas desse projeto, que é recepcionar Valéria e Xaiâne. Outros Adolescentes virão. O desejo é que essa ideia seja adotada também por outras instituições aqui do estado e nos demais estados da federação. É um exemplo a se seguir”, comenta o Primeiro Secretário, Clodoaldo Magalhães.

O intuito do projeto é promover a inclusão social e a formação profissional de jovens em situação de extrema vulnerabilidade e aptos à adoção. Os jovens participarão de cursos de atualização em língua portuguesa, estrangeira e informática, além de terem aprendizagem de rotinas no ambiente de trabalho.

As adolescentes não viam a hora de começar as atividades. Xaiane, é da Casa de Acolhimento Raio de Luz. Órfã de pai e mãe, a garota sonha em ser desembargadora. “Não me preocupo em sonhar alto, sei que sou capaz de chegar onde muitos nem imaginam”, foi a frase soltou a adolescente que completou 17 anos em maio. Já Valéria, 16, quer aproveitar essa oportunidade para fazer um curso técnico e virar uma bombeira profissional. Assim, poderá morar com o meio irmão, de parte de pai, que mora com a avó em Paulista.

O Alepe Acolhe prevê ajuda financeira aos jovens para a transição no período subsequente ao da saída das casas de acolhimento. O valor da bolsa-auxílio é de R$ 500, 00. O estágio, que pode ser renovado, terá duração de seis meses e as despesas decorrentes do programa serão oriundas de dotações orçamentárias próprias da Assembleia.

COMMENTS