Assembleia Legislativa estimula inclusão de jovens no mercado de trabalho com lançamento do projeto “Alepe Acolhe”

A medida foi idealizada pelo deputado Clodoaldo Magalhães

Comissão de Meio Ambiente da Alepe debate os impactos socioambientais e econômicos no litoral de Pernambuco da 17ª rodada de leilão de Petróleo
Projeto de Fabíola Cabral quer tornar obrigatória a prestação de assistência odontológica nos hospitais de Pernambuco
Marcantônio Dourado Filho fortalece representação do Agreste Meridional na ALEPE

Adolescentes beneficiados terão aulas de língua portuguesa, estrangeira e informática;além de aprendizagem de condutas para inserção no mercado de trabalho

A Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco deu um importante passo no que diz respeito à inclusão de jovens em situação de extrema vulnerabilidade ao mercado de travalho. Nesta quarta-feira (22), dentro da programação da Semana Estadual da Adoção, a Casa Joaquim Nabuco realizou o lançamento do projeto “Alepe Acolhe”, em uma parceria inédita com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A medida, idealizado pelo deputado estadual e primeiro secretário da Alepe, Clodoaldo Magalhães (PSB), tem como principal objetivo promover a inclusão social, capacitação e qualificação profissional para os jovens em situação de abrigo e que estão próximos de atingir a maioridade.

Dentro das atividades oferecidas, os jovens participarão de cursos de atualização em língua portuguesa, estrangeira e informática, além de terem aprendizagem de rotinas e condutas no ambiente de trabalho. Coordenada pela Gerência de Integração de Pessoas, da Superintendência de Gestão de Pessoas da Alepe, o Alepe Acolhe prevê ainda ajuda financeira aos jovens para a transição no período subsequente ao da saída das casas de acolhimento.

Para o deputado Clodoaldo Magalhães, essa será mais uma importante ação da Casa, acreditando e defendendo que desigualdade não se enfrenta apenas com medidas paliativas, mas também com prevenção. “A ideia é justamente que a família da Alepe acolha esses jovens que precisam passar por um processo de uma profissionalização e capacitação nessa quase iminência de saírem de suas casas abrigo. Ou seja, são adolescentes que o judiciário têm acolhido para uma possível adoção, mas que quando chegam aos 17 anos e seis meses, são preteridos na adoção. Então, o nosso objetivo aqui é esse: o de reverberar a cultura da adoção, com o apoio do Judiciário e de todas essas entidades que buscam sensibilizar a sociedade para o amor envolvido neste processo”, afirmou o parlamentar.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eriberto Medeiros, agradeceu a todos os envolvidos no projeto e ressaltou a parceria com o TJPE. “Agradeço a todos os envolvidos neste projeto que contribuíram para que chegássemos até esse momento. Passando, também, pelo convênio que foi firmado com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Hoje, firmamos essa parceria tão importante para acolher esses jovens e qualificá-los com curso e experiência para que dessa forma estejam preparados para ingressar no mercado de trabalho”, ressaltou.

Programa de estágio

O programa de estágio terá a supervisão da Escola do Legislativo (Elepe), com a oferta inicial de 10 vagas. Os adolescentes serão escolhidos inicialmente por uma equipe interdisciplinar com o objetivo de ambientá-los na Alepe. Em seguida, serão direcionados ao setor de lotação. Foram estipulados os seguintes requisitos para o ingresso no programa: estar apto à adoção; ter idade mínima de 17 anos e 6 meses; manifestar interesse na iniciação de formação profissional e comprovar frequência regular em instituições de ensino médio ou dos anos finais do ensino fundamental. O estágio terá duração de seis meses com bolsa no valor de R$ 500. As despesas decorrentes do programa serão oriundas de dotações orçamentárias próprias da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Para a chefe do setor de acolhimento de uma das entidades parceiras do projeto, Mauricéia Oliveira, a ação permitirá que os jovens possam construir suas vidas sem privações. “Esse projeto tem uma importância muito grande enquanto acolhimento institucional, afinal, é uma inclusão desses adolescentes ao mundo do trabalho, algo que é complicado por si só. É, acima de tudo, uma forma de prover uma base para que eles possam construir suas vidas, saindo dessa situação de vulnerabilidade”, destacou.

Primeiras beneficiadas pelo Alepe Acolhe, Luana Xavier, 16, e Xaiane Amâncio, 17, afirmam que a oportunidade de inclusão será muito importante para o futuro. “Na nossa vida vai mudar muito. Antes, a gente pensava que quando saísse do abrigo não iríamos para canto nenhum. Agora, com esse projeto, a gente vai trabalhar e se manter”, destaca Luana. Para Xaiane, o importante mesmo é poder construir a sua própria vida sem depender de ninguém. “Eu penso muito em ter a minha própria vida. Minha própria casa, sabe? Seguir em frente. Lógico que também depende de mim, mas o projeto vai me ajudar bastante”, concluiu.

Convênio com o TJPE

A indicação para o estágio no programa será feita ao Juiz Titular da 2ª Vara da Infância e Juventude da Capital, Élio Braz, pelas instituições de acolhimento vinculadas ao tribunal de Justiça de Pernambuco. Após validada, será encaminhada ao Poder Legislativo, que iniciará os trâmites para o processo de aprendizagem. Fica a cargo da Assembleia Legislativa sempre informar ao Juiz Titular sobre a disponibilidade de vagas para estágio. “Brilhante a iniciativa da Alepe com esse projeto. Estamos cumprindo a Constituição Federal do Brasil, que determina que há prioridade absoluta de crianças e adolescentes, e que essa responsabilidade é da família, da sociedade e do Estado. Essa experiência que os jovens terão será importantíssima para a construção de um futuro mais justo”, apontou.

Como forma de conscientização, o projeto ainda prevê a realização de palestras e demais atos de divulgação com o objetivo de informar aos servidores e o público em geral quanto à questão social dos adolescentes aptos à adoção. Também serão divulgadas as possibilidades de doação dedutíveis aos Fundos Estaduais e Municipais de proteção e apoio à criança e ao adolescente, entre os servidores da Alepe e as empresas contratadas.

Também estiveram presentes no evento o deputado Ricardo Barbosa, vice-presidente da Unale; José Maurício, secretário executivo de relações institucionais do Governo de Pernambuco; Cloves Benevides, secretário de Políticas de Prevenção às Drogas e Sileno Guedes, secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (representando o governador Paulo Câmara).

COMMENTS