Charbel aposta em iniciativa privada e navegabilidade do Capibaribe para melhorias no trânsito do Recife

Candidato do Partido Novo também deseja protagonismo do município no Consórcio Grande Recife

IBOPE – João Campos lidera com 33% e segundo lugar está embolado com Mendonça, Marília e Patrícia Domingos
“Ele está perdido”, diz Charbel sobre Daniel Coelho
TV Jornal realiza único debate televisivo ao vivo com candidatos à Prefeitura do Recife


O candidato à prefeitura do Recife, Procurador Charbel (Novo), destacou nessa quarta-feira (14) suas ideias para solucionar o trânsito caótico da capital pernambucana. O postulante de direita traz como proposta medidas imediatas que visam à mobilidade, aproveitando os recursos naturais presentes na cidade, sem a utilização de recursos públicos e protagonismo do município no Consórcio Grande Recife. Charbel garante que, se eleito, até as calçadas serão adotadas por empresas privadas.

“Precisamos de mais ônibus concorrendo, 11 empresas é um número muito baixo para atender a cidade. Precisamos de outros modais. Vamos tirar do papel, através de recursos da iniciativa privada, o projeto de navegabilidade do Rio Capibaribe. Vamos ampliar o número de ciclofaixas. Criaremos o projeto “Adote uma calçada”, para as empresas ajudarem nesse importante meio de mobilidade. Nossas calçadas são péssimas para tráfego, principalmente para as pessoas com deficiência. Também vamos trazer para o Recife o ônibus por demanda, quando a pessoa solicita por aplicativo. Isso já existe em vários lugares do mundo”, explicou Charbel.

Para ele, o Recife precisa ser protagonista no Consórcio Grande Recife. Segundo o conservador, a PCR, mesmo sendo sócia, não exerce o peso que deveria dentro do rateio dos municípios e nunca fez sua parte exigindo das empresas de ônibus mais contrapartida, muitas vezes, passando a responsabilidade para o Estado.

“Não precisa o Recife sair do consórcio para que ele funcione, nesse caso o município teria que criar uma estrutura própria para gestão do transporte público – que é intermunicipal – gerando mais recursos e demandando mais tempo para alcançar os resultados. Temos que cobrar mais qualidade nos ônibus, melhorar a frequência e a segurança, além de manter os terminais integrados funcionando com respeito ao passageiro. E essas mudanças precisam acontecer rápido. Quero uma solução para janeiro, assim que tomar posse“, acrescentou.

COMMENTS