Coluna Política em Dia (03/08) – O declínio do Clã Gomes

Coluna Política em Dia (03/08) – O declínio do Clã Gomes

Saiba mais informações dos bastidores da política pernambucana clicando no link

Coluna Política em Dia (17/08) – O xadrez político em Olinda para 2020
Radar Político (11/09) – Para onde irão Gustavo, Ricardo e Tony Gel?
RADAR POLÍTICO (22/06) – Francisco Padilha cai em campo para pavimentar candidatura

O casal Jorge e Laura Gomes, mais conhecidos pela atuação política em Caruaru, representam mais um dos grupos políticos sucessivamente fragilizados nas últimas eleições pernambucanas. Atualmente sem mandato, Jorge Gomes (PSB) já passou pelos cargos de vice-prefeito, deputado estadual, vice-governador e foi deputado federal suplente. Já Laura, filiada ao mesmo partido, foi deputada estadual e hoje ocupa a Secretaria Executiva de Desenvolvimento Social. O filho deles , Marcelo Gomes (PSB), é vereador da cidade de Caruaru.

Em 2016, Jorge Gomes era vice-prefeito de José Queiroz (PDT) e candidatou-se a prefeito na sucessão, mas amargou apenas um quarto lugar, atrás até do neófito Delegado Lessa (PP), mesmo tendo apoio da prefeitura e do governo estadual. Em 2018, Lessa e Queiroz foram eleitos deputados estaduais e a prefeita Raquel Lyra (PSDB) viu seus dois candidatos a deputados vencerem as eleições, mas Laura Gomes foi derrotado e acabou como terceira suplente no chapão do Palácio. Foram apenas 5.302 votos auferidos por Laura em Caruaru. O reflexo da falta de densidade e da perda de força é que o PSB hoje enfrenta uma dificuldade para montar chapa de vereadores na cidade e já se cogita que Marcelo seja candidato a vice-prefeito ou não seja candidato a nada. Sem mandato para abrigar aliados e sem maioria no próprio partido, a capacidade do casal Gomes de agregar em torno de um projeto foi extremamente reduzida ao longo dos anos. Para quem já foi até vice-governador, o ostracismo político pode ser bastante amargo.

Outro fator que pesa contra os Gomes é a idade. Laura fará 66 anos e Jorge tem 73 anos. Provavelmente, os próximos anos devem ser os últimos deles na movimentação política devido ao fator qualidade de vida. Caso não consigam resolver a situação de Marcelo Gomes, garantindo-lhe mais sobrevida, ou captar um mandato para si, os Gomes podem facilmente cair em um limbo político no qual muitas figuras memoráveis caíram e não conseguiram sair. Como diz o ex-governador Joaquim Francisco(PSDB): “Político sem mandato cresce até capim na porta dele”.

Candidatíssima – O Palácio do Campo das Princesas já se decidiu pela candidatura de Carmem Miriam à prefeitura de Agrestina no ano que vem. Carmem já foi prefeita do município e pesou na decisão do governo a trajetória de lealdade para com os palacianos ao longo de décadas.

Expandindo – Na esteira da expansão das bases, cogita-se lançar Eudo Magalhães Júnior para concorrer à Prefeitura de Belém de Maria em 2020. Há informações de que Eudo já teria circulado dentre vereadores e lideranças para sentir a viabilidade do projeto. Caso vingue, seria mais uma base de Clodoaldo Magalhães(PSB) que se expande.

Catende 1– O vice-prefeito Fausto da Farmácia(PSB) anda correndo contra o tempo para pavimentar sua pré-candidatura a prefeito. Esta semana, o líder do PSB na Alepe, Sivaldo Albino, teceu diversos elogios sobre Fausto, que já tratou de posar ao lado do governador e outras lideranças importantes do partido. Fausto tem tudo para emplacar sua candidatura.

Catende 2 – Por falar na cidade, O Presidente da Câmara Municipal de Catende, José Wellington (PL), popularmente conhecido como Buda, também quer viabilizar sua candidatura. Diante da crise política instaurada na cidade, Buda avalia que pode levar vantagem no processo por chefiar o Legislativo Municipal e não ter a rejeição que Fausto possui por ter sido eleito na mesma chapa do prefeito Josibias Cavalcanti(PSD). Buda conta com o apoio do ex-deputado Henrique Queiroz e do deputado estadual Henrique Queiroz Filho(PL).

Renovação – O MDB Pernambuco precisa de um choque de renovação urgente. De acordo com um correligionário de alta plumagem, a cúpula do partido estaria tomando decisões equivocadas por não conseguir ler corretamente as tendências do eleitorado. Há toda uma geração nova que não sabe quem é Jarbas e está cada vez mais representativa dentre os eleitores. Um reflexo disso é a eleição apertadíssima para o Senado Federal no ano passado, de onde Jarbas elegeu-se por uma margem apertada em segundo lugar. De acordo com esta fonte, o partido precisa ter mais “cabeças pretas” na cúpula.

Circulando – O ex-deputado estadual Beto Accioly (PP) encontrou-se com amigos e emedebistas históricos nesta quinta-feira. Na foto, Jarbas Filho, herdeiro do senador Jarbas (MDB); Geraldo Alves (MDB), ex-vereador de Camaragibe; e André Guerra (MDB), presidente do diretório camaragibense, ex-vereador, ex-secretário e filho do falecido ex-prefeito Arnaldo Guerra. Segundo uma fonte próxima ao progressista, Beto estaria circulando pela cidade e auferido o apoio de quase 100 lideranças e 5 partidos diferentes. A diferença já estaria sendo notada nas sondagens de intenção de voto. Alguns palacianos também demonstram preferência por Beto, devido à amizade conquistada em sua passagem pela Alepe. Camaragibe em 2020 vai pegar fogo!

Dúvida: Camaragibe pode ter um terceiro prefeito daqui a um mês?

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS