Com voto de Humberto, Senado proíbe corte de bolsas de pesquisa durante pandemia

Saiba mais informações clicando no link

Lei: escolas de Pernambuco terão que falar sobre alienação parental com alunos
Prefeita Célia Sales envia projeto de reajuste para professores da rede municipal
Danilo quer piso dos professores fora do teto da LRF

O Senado aprovou um projeto de lei que veda qualquer corte na concessão de bolsas de pesquisa enquanto o país estiver em estado de calamidade pública reconhecida pelo Congresso Nacional. Para o senador Humberto Costa (PT-PE), o texto é fundamental para dar estabilidade ao investimento em estudos de alto nível no Brasil e chega em um momento em que o governo de Jair Bolsonaro tem agido, sistematicamente, contra a educação e a ciência.

A matéria proíbe o cancelamento e a interrupção de pagamento de bolsas de estudo e de apoio financeiro concedidos no âmbito de programas e normas federais e alcança o fomento à iniciação científica e tecnológica, à docência, à especialização em residência médica e multiprofissional em saúde, e à educação superior em nível de mestrado e doutorado.

“O que estabelecemos é que as bolsas deverão ser mantidas durante o estado de calamidade. No caso específico da atual pandemia do coronavírus, a vedação de corte se estenderá pelo prazo de um ano, contado do fim do estado de calamidade, incluída sua eventual prorrogação. Dessa forma, a gente dá uma segurança àqueles que trabalham com pesquisa no Brasil”, afirmou Humberto.

Votado na noite da quarta-feira (2) pelos senadores, o projeto de lei segue agora para a Câmara dos Deputados. “Essas bolsas têm uma importância acadêmicas, mas também um valor social muito grande. Mais de 120 mil pessoas detêm esse incentivo, e milhares delas dependem dessas bolsas para a própria sobrevivência, gente que se dedica exclusivamente aos estudos”, esclareceu o senador Humberto Costa. “Pelo bem do conhecimento, isso não pode ser extinto ou paralisado.”

COMMENTS