De licença médica, Álvaro Porto critica fim da DECASP e afirma que votaria contra a extinção

De licença médica, Álvaro Porto critica fim da DECASP e afirma que votaria contra a extinção

O deputado estadual Álvaro Porto (PTB) esclarece que esteve impossibilitado de comparecer ao plenário da Assembleia durante votação do Projeto de

Ampliação da transparência pública na pauta do deputado estadual Romero Sales Filho
Dia Estadual de Combate à Corrupção é criado para desenvolver ações que previnam, fiscalizem e reprimam atos lícitos que causem prejuízo aos cofres públicos
Deputado Clóvis Paiva destina R$ 1,88 milhão em emenda para enfrentamento do coronavírus

O deputado estadual Álvaro Porto (PTB) esclarece que esteve impossibilitado de comparecer ao plenário da Assembleia durante votação do Projeto de Lei Ordinária nº 2.066/2018 por estar de licença para tratamento de saúde.

Votado – e aprovado – na tarde desta terça-feira (30.10), o Projeto extinguiu a Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (DECASP), entre outras providências.

Um dos deputados mais críticos da política de segurança pública do governo Paulo Câmara (PSB), tendo feito, ao longo do mandato, cobranças, denúncias e sugestões, além de constantes incursões em delegacias, batalhões e regimentos da Polícia Militar, Álvaro Porto afirma que seu posicionamento sobre a questão posta em votação na Alepe é único. “Se estivesse presente, votaria a favor da manutenção da delegacia, contra o governo e a favor do povo”, enfatizou.

Lembrou ainda que o empenho dos que faziam a delegacia possibilitou investigações e operações que resultaram na prisão de políticos e empresários envolvidos em esquemas de corrupção.

Votaram contra o fim da DECASP os deputados Priscila Krause (DEM), Socorro Pimentel (PTB), Edilson Silva (PSOL) e Antônio Moraes (PP). O projeto acabou aprovado por 37 votos.

COMMENTS