Deputado propõe criação de Centro de Reabilitação Pós-Covid em Pernambuco

Centro realizaria atendimento de pacientes com sequelas respiratórias, motoras ou emocionais em função da COVID-19

RIBEIRÃO – Marcello Maranhão comemora início da vacinação contra o COVID 19 no município
Deputada Roberta Arraes solicita mais leitos de UTI e de enfermaria para o Sertão
Governo de Pernambuco envia 40 respiradores ao Hospital Universitário de Petrolina

A Covid-19 é uma doença que desafia a ciência e exige o máximo das pessoas. Mesmo para quem teve apenas os sintomas leves, há o risco de sequelas respiratórias, motoras e, ainda, emocionais. Para cuidar da saúde física e mental desses pacientes, o deputado estadual Romero Albuquerque quer que Pernambuco tenha um Centro de Reabilitação Pós-Covid. Uma indicação de sua autoria ao Governo do Estado foi publicada no Diário Oficial da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Na justificativa do requerimento, Albuquerque cita estudos realizados pelo Hospital das Clínicas de São Paulo, que demonstram que “cerca de 40% das pessoas recuperadas do coronavírus permanecem com alguma sequela após receberem alta”. O estudo aponta falta de ar, cansaço, perda de olfato e paladar como sintomas que são desenvolvidos durante a fase infecciosa da doença e que persistem após a recuperação. “Outros sinais como fadiga constante, fraqueza muscular, depressão e ansiedade podem surgir”, pontua.

Romero chama atenção para a necessidade de atenção aos pacientes recuperados e indica a presença de equipes formadas por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, educadores físicos, nutricionistas e psicólogos na unidade.

“O trabalho com os pacientes pós-Covid não termina após a alta médica. É preciso um acompanhamento adequado para melhorar a qualidade de vida dessas pessoas que ficaram com sequelas”, Albuquerque frisa.

A ideia de criar o centro foi inspirada no exemplo de Itajaí, cidade no estado de Santa Catarina que, segundo o texto da indicação, foi a primeira a implementar o programa de acompanhamento pós-Covid.

COMMENTS