Deputado sugere criação de CPI para investigar atuação de cambista

Deputado sugere criação de CPI para investigar atuação de cambista

Romero Albuquerque (PP) estuda levar o tema adiante, na Alepe, em virtude das queixas de diversos torcedores, incomodados com o preço exagerado dos ingressos e falta de controle na bilheteria oficial dos clubes.

CPI do Vazamento do Óleo é protocolada na Câmara dos Deputados
Câmara de Olinda instala CPI para apurar irregularidades em eleição do Conselho Tutelar
Câmara do Cabo de Santo Agostinho instala CPI para investigar irregularidades na escolha para novos conselheiros tutelares

Romero Albuquerque (PP) estuda levar o tema adiante, na Alepe, em virtude das queixas de diversos torcedores, incomodados com o preço exagerado dos ingressos e falta de controle na bilheteria oficial dos clubes.

Com pouco mais de 24h a diretoria do Sport Club do Recife vendeu os quase 27 mil ingressos disponíveis para torcida rubro-negra para a segunda partida da decisão do Campeonato Pernambucano, contra o Náutico, no próximo domingo (22), na Ilha do Retiro. Acontece que muitos torcedores, que enfrentaram a imensa fila nesta quarta-feira (17), denunciam que algumas pessoas saíam da bilheteria com mais de 30 ingressos e os comercializavam a preços extorsivos. Para combater esta prática, o deputado estadual Romero Albuquerque (PP) estuda criar, na Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco, uma CPI para investigar a atuação dos cambistas.

“É um desrespeito com o torcedor. Recebi várias mensagens de torcedores que passaram horas na fila e não conseguiram comprar o ingresso. Eles dizem que uma única pessoa saía, por exemplo, com mais de 30 ingressos. Vou averiguar com a consultoria legislativa se há condições de avançar com a investigação e acabar com estas extorsões contra o torcedor pernambucano”, explicou o parlamentar.

De acordo com informações repassadas pelo deputado, os cambistas estão vendo os ingressos por R$ 100, R$ 150 para a arquibancada frontal. O valor cobrado, oficialmente, pela diretoria rubro-negra foi de R$ 60,00 e R$ 30,00. “Isso é um absurdo. Não podemos aceitar. Muita gente investe uma parte do orçamento familiar para poder ter um momento de lazer e não pode bancar um valor desses. Os cambistas esgotam os bilhetes da diretoria e vendem clandestinamente por preços abusivos. É inaceitável”.

Incomodado com este transtorno, o deputado informou que a diretoria deveria criar estratégias para impedir estas práticas, como limitar o número de ingressos por pessoa, personalizar o bilhete e reforçar a segurança.

“Vamos avançar com esta investigação. Nossa intenção é preservar o torcedor, que no fundo é também um consumidor, e não pode ser vítima desse mercado abusivo. Queremos desvendar os interesses por trás destas práticas e punir quem lucra com esta extorsão”.

COMMENTS