Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Saiba mais informações clicando no link

Lei de Alessandra Vieira desobriga que crianças com autismo usem máscara
No Dia Mundial de Conscientização do Autismo Gustavo Gouveia garante Lei beneficiando pessoas com TEA
Roberta Arraes comemora promulgação de sua lei que obriga cinemas a reservarem sessões adaptadas para autistas

Existem crianças que mostram não saber reconhecer os códigos da comunicação humana. Alheias à presença dos outros e inatingíveis se encarceram num universo próprio. Apresentam comportamentos repetitivos e padrões restritos. Essa gama de sintomas, dificuldade de interação social e comportamentos padrões e restritos caracteriza um transtorno do desenvolvimento conhecido como Autismo.

No fim de 2007, a ONU (Organização das Nações Unidas) definiu o dia 2 de abril como sendo o Dia Mundial de Conscientização do Autismo que atinge 1 em cada 160 crianças no mundo. Para conscientizar sobre a data e esclarecer a importância do diagnóstico e avaliações da equipe multidisciplinar, conversamos com neuropediatra, Giedra Marinho, Coordenadora da Clínica Multidisciplinar Alpha, Psicóloga Especialista em Infância e Adolescência, e Mestre em educação para o Ensino em Saúde.

O que o autismo? Quais as principais características?

Hoje falamos em TEA, transtorno do espectro autista. Transtorno porque, tem aspectos comprovados neurológicos, fisiológicos, cognitivos e comportamentais. E espectro, porque temos os níveis do autismo: leve, moderado e grave. As características variam de caso para caso, e a incidência maior é em meninos. Incluem, movimentos estereotipados, dificuldades cognitivas, como rebaixamento da atenção e concentração. Existe também algumas dificuldades relacionadas com socialização, e interação interpessoal.

Quais sinais os pais devem estar atentos?

Os principais sinais, que podem ser indicativos de autismo são: embotamento afetivo (dificuldade em lidar com as emoções), seletividade alimentar (preferência por texturas e comidas específicas), rebaixamento cognitivo em algumas funções, hipersensibilidade a sons altos, luzes e ambientes com muitas pessoas.

Qual especialidade médica procurar ajuda? Quais formas de tratamento e acompanhamento?

O diagnóstico tem que ser feito por médicos especializados no neurodesenvolvimento infantil. Hoje o tratamento é multidisciplinar. Com profissionais das áreas da: fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, psicomotricidade, neuropsicológica, neuropediatra, psicopedagogia, entre outros.
Existem vários tipos e abordagens de tratamentos: ABA Denver, Pecs, Hanen, Flortime, Sunrise, teach, entre outros.

Em que momento procurar intervenção médica?

Quanto mais cedo e correto o diagnóstico, melhor será o processo de intervenção e estimulação, principalmente a plasticidade cerebral, que será de suma importância para que os aspectos cognitivos possam ser trabalhados e estimulados para dar uma melhor qualidade de vida para essas crianças.

Existe concentração dos casos numa mesma família?

Hoje já sabemos que o TEA, tem causas genéticas e hereditárias. Vários membros da mesma família podem desenvolver. O acompanhamento genético, neuropsicológico, e do autodesenvolvimento é essencial, para intervenção precoce.

Não dá para imaginar como uma pessoa pode ser tão inteligente e, ao mesmo tempo, não decifrar os nomes dos próprios familiares e número de pessoas em casa. Como isso é possível?

Existe um nível dentro do TEA, chamado de Asperger, onde a criança, adolescente ou mesmo adulto possuem uma, ou mais áreas do desenvolvimento altas habilidades. Pode ser na área lógico matemático, musical, ou outra específica. Tenho conhecimento de 3 rapazes com Asperger que se formaram em medicina.

Existe causas para o autismo?

As causas para o TEA são multifatoriais, desde acontecimentos na gestação, genéticos, aspectis hereditários, sociais e comorbidades ocorridas na 1 e 2 infância especialmente.

Qual a importância de incluir o autismo no ensino regular?

A inclusão do autista é um processo lento e gradual. As crianças necessitam de acompanhado dentro e fora da escola. As atividades devem ser adaptadas, assim como todo o material escolar. Os professores devem ser instruídos e capacitados a manejar os comportamentos que os autistas apresentam diferentes das outras crianças.

Qual a importância do Dia do Autismo?

Falar sobre o TEA é de extrema importância para tirar dúvidas, e esclarecer mitos e verdades sobre o autismo. E conscientizar que podemos incluir e conviver com as diferenças e características que o autismo mostra.

Em 2021, no Brasil todo, para celebrar a data, a comunidade envolvida com a causa do autismo segue unida em uma campanha nacional cujo tema é: “Respeito para todo o espectro”, usando também a _“hashtag”_ #RESPECTRO nas redes sociais.
Além disso, o “Dia Mundial de Conscientização do Autismo” é dedicado à campanha Abril Azul, que visa, mostrar que ninguém precisa se afastar de um autista, ao contrário, é necessário entender para incluir e ajudar.

COMMENTS