Eliete Veras dá sinais de que será candidata a prefeita

Rompida com a prefeita Elianai Buarque (PDT) desde o final de 2013, a atual vice-prefeita do município de São José da Coroa Grande, Eliete Veras (

Pel Lages será recebido por governador em exercício
EU ESTOU VOLTANDO, DISSE BARBOSA.
Prefeito Pel Lages faz cobranças ao secretário estadual de Educação

10922335_725656297541798_3178076245605778313_o

Rompida com a prefeita Elianai Buarque (PDT) desde o final de 2013, a atual vice-prefeita do município de São José da Coroa Grande, Eliete Veras (PTB), tem dado sinais de que a sua candidatura a prefeita é pra valer.

Com uma história forjada na luta, Eliete Veras iniciou a sua carreira política ainda no ano de 1988 quando foi candidata a vereadora e ficou na suplência com 102 votos, no entanto isto não a fez desistir e no ano de 1992 ela saiu novamente candidata e se elegeu com 130 votos. Na eleição de 1996, Eliete saiu candidata a reeleição e triplicou a votação que havia obtido no pleito anterior, alcançando 389 votos e foi a primeira pessoa a consegui superar a marca dos 300 votos para a eleição de vereador no município. Essa votação chamou a atenção de todos e Eliete passou a ser vista como um quadro com condições de disputar eleições majoritárias no município.

Com a proximidade das eleições de 2000, Eliete foi convidada pelo empresário José Barbosa para ser candidata a vice-prefeita em sua chapa onde disputaria a prefeitura contra o então prefeito Quirino Fábio.  A eleição de 2000 marcou a história política do município como sendo a mais acirrada de todas. Esse pleito foi marcado por discursos inflamados, fortes trocas de acusações entre os candidatos e eleitores apaixonados que disputavam voto a voto para dar vitória ao seu campo político. No final do pleito Quirino Fábio se reelege com apenas 36 votos de diferença.  Embora tenha amargado uma derrota que a levou para a planície política, Eliete conseguiu eleger o seu cunhado Pel para vereador com 172 votos.

Mesmo tendo perdido a eleição e ficado sem mandato, Eliete ainda sonhava com uma candidatura majoritária, porém desta vez a situação havia se complicado, pois ela não sabia se seria novamente convidada para compor uma chapa com Barbosa e por outro lado o seu cunhado havia tomando gosto pelo cargo de vereador, dando demonstrações de que pretendia candidatar-se a reeleição. No entanto, o laço familiar e a gratidão que Pel possuía por Eliete poderia fazer-lhe desistir da reeleição e ceder espaço para ela.

Com a proximidade das eleições de 2004, dois quadros políticos se destacavam como candidatos a prefeito. Por um lado o então prefeito de Barreiros, João Baleia, que contava com o apoio de oito dos nove vereadores e pelo outro, o empresário José Barbosa.  Porém, no início de 2004 João Baleia chegou a desistir da candidatura e o quadro político mudou completamente. Agora com grupo político órfão, Eliete viu uma oportunidade e agiu rapidamente assumindo a liderança do conjunto de forças que estava carente e foi candidata a prefeita contra o ex-aliado José Barbosa. Apesar de ter perdido, Eliete se consolidou como um quadro majoritário e saiu candidata novamente na eleição de 2008, sendo novamente derrotada.

Depois da segunda derrota para Barbosa, Eliete continuou na luta para conquistar um sonho que há muito tempo guarda, que é o de ser prefeita da sua terra natal. Porém, mais uma vez teve que adiar esse desejo, pois João Baleia retorna para o município com uma candidatura estruturada e competitiva e a convida para ser sua candidata a vice-prefeita. Ao longo da campanha houve uma instabilidade jurídica sobre a possibilidade de João Baleia levar até o final a sua candidatura, então chegou um momento em que ele foi substituído por sua esposa, Elienai Buarque, que disputou e ganhou a eleição para Nanam, candidata do então prefeito Barbosa.

Agora de volta a um cargo eletivo e desta vez como vice-prefeita, Eliete viu a realização do seu sonho cada vez mais perto, pois caso tudo andasse como deveria andar, seria uma questão de tempo para ela alcançar o posto de prefeita, pois caso Elianai se reelegesse ela seria a candidata natural do grupo político para comandar o executivo municipal. No entanto, um rompimento ainda pouco compreendido pela população levou novamente Eliete para o campo da oposição.

Com uma obstinação que é característica da sua história, Eliete dá demonstrações de que não ficará de fora das eleições de 2016 e se movimenta nos bastidores políticos com o objetivo de viabilizar a sua candidatura. A distribuição de calendários com as cores que representaram as suas campanhas no passado estão presentes em várias casas do município e a sua movimentação, embora tímida e silenciosa, é acompanhada atentamente por este blogueiro que vos escreve.

Escrito por Wellington Ribeiro

COMMENTS