Em entrevista à CBN, presidente da ACS-PE pede reformulação e modernização no Plano de Cargos e Carreiras, conforme prometido pelo Governo

Segundo Albérisson Carlos, o governo estadual não conversou mais sobre o assunto e atualmente não dialoga com nenhuma categoria.

ACS-PE escancara tentativa midiática de inverter valores e fazer ‘bandidos’ de vítimas
ACS-PE reforça pedido ao Governo de PE para prioridade dos Policiais e Bombeiros Militares na vacinação contra a Covid-19
ACS-PE comemora promoção de 959 novos sargentos da PMPE; confira os nomes:

Segundo Albérisson Carlos, o governo estadual não conversou mais sobre o assunto e atualmente não dialoga com nenhuma categoria.

Albérisson voltou a cobrar a implantação do Plano de Cargos e Carreiras que foi prometido na mesa de negociações, na época, que o Estado voltaria a conversar sobre o assunto. Mas, segundo o presidente da ACS-PE, o governo estadual não conversou mais sobre o assunto e atualmente não dialoga com nenhuma categoria.

“Hoje o Policial está sendo promovido, a partir de 2022, a lei que vai começar a funcionar que é de dez em dez anos e se isso não for modernizado algumas graduações, algumas escolas que ainda não foram promovidas nem a Cabo, e nem a Sargento poderão ser prejudicadas. Então, eu quero fazer um registro aqui que esse é um problema que o Estado tem que corrigir, tem que ouvir sim as sugestões da tropa através das associações, que no nosso caso é a Associação de Cabos e Soldados”, explicou.

A categoria pede que seja revisado o plano, após promessa do Governo do Estado e a promoção seria feita a cada cinco anos e não aos atuais dez anos.

“A gente entende que o Plano de dez em dez anos foi uma conquista, mas naquele momento em que foi aprovado se prometeu fazer uma revisão para que esse tempo de promoção fique de cinco em cinco anos. Queremos que o governo cumpra sua promessa”, argumentou.

Albérisson ainda falou sobre o problema na escala de serviço e do número reduzido no efetivo da tropa.

“Nós temos um problema muito sério da escala de serviço. Além de nós termos um efetivo hoje muito defasado. A previsão é ter em Pernambuco 26.800 Policiais ativos, mas nós só temos um pouco mais de 15 mil Policiais ativos, ainda mais, em tempos de pandemia”, informou.

COMMENTS