Em Palmares, Delegada Gleide Ângelo conhece prédio que irá abrigar Delegacia da Mulher

Saiba mais informações clicando no link

Ação Mulheres na Tribuna com mulheres de Santa Cruz do Capibaribe
Projeto cria programa de enfrentamento à violência contra mulher e idosos
Proposta de Eduardo da Fonte inclui no mercado de trabalho mulheres vítimas de violência

A Delegada Gleide Ângelo esteve nesta quinta (04) em Palmares, na mata sul, onde se reuniu com o prefeito Júnior de Beto e sua equipe. O gestor municipal convidou a deputada para conhecer o prédio que vai abrigar a Delegada da Mulher de Palmares — primeira unidade do gênero na região, cuja existência era pleiteada há mais de 20 anos pelo movimento de mulheres e moradores em geral e apenas foi confirmada após intenso trabalho de articulação da parlamentar com o executivo estadual.

A unidade será instalada num prédio público em uma das principais vias do centro da cidade, o que vai facilitar o acesso das mulheres ao serviço. Durante a reunião com a parlamentar, o prefeito Júnior de Beto também anunciou que vai arcar com os custos para a reforma e qualificação do espaço, atualmente fechado. “A Delegacia vai ter uma excelente localização, pois vai ficar num ponto estratégico, incentivando a vítima a não desistir de registrar sua queixa e buscar ajuda. Da delegacia, essa mulher também vai poder ser atendida pelos serviços psicossociais e jurídicos, numa integração com o trabalho do Centro de Atendimento à Mulher da cidade. Ou seja, vai aproximar ainda mais a rede de quem mais precisa”, comenta a deputada.

Palmares tem uma população de quase 64.000 habitantes (63.745, IBGE) e, de acordo com informações da Secretaria de Defesa Social, nos últimos dois anos foram registrados quase 500 casos de violência domestica, familiar e de estupro – e mais de 30% dos registros aconteceram somente este ano. “A chegada da delegacia da mulher em Palmares é histórica, porque os casos de violência contra mulheres acontecem todos os dias. Inadmissível a mata sul não ter um ponto efetivo de proteção e suporte… a vítima, que já está fragilizada, fica sem poder buscar o mínimo de ajuda. Se a polícia, que é o trabalho imediato, de proteção, não está acessível a ela, como essa mulher pode seguir em frente?”, pondera.

DELEGACIAS — O projeto de lei do executivo estadual que vai oficializar a criação das novas Delegacias de Proteção à Mulher já está em análise na Procuradoria Geral do Estado e deve ser encaminhado para a Assembleia Legislativa nos próximos dias. Além da unidade em Palmares, na mata sul, as cidades de Arcoverde, no sertão, e Olinda, na Região Metropolitana também serão contempladas com novas delegacias especializadas na perspectiva de gênero. A cidade de Salgueiro, cuja especializada existe desde 2008, por meio da lei Nº 13.457, também terá sua unidade implantada.

COMMENTS