Fratura na Frente Popular pode estimular o surgimento de uma nova coalizão

Fratura na Frente Popular pode estimular o surgimento de uma nova coalizão

Saiba mais informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

Avante e PP podem formar aliança em Serra Talhada
Rogério Leão lança Avante em São José do Belmonte
Radar Político (03/08)- Com Marilia Arraes no jogo, PSB é instigado a tratar melhor os aliados

Desde o ano de 2007, o estado de Pernambuco é governado pelo PSB, quando foi eleito o ex-governador Eduardo Campos. Após 8 anos de mandato, ele indicou o atual governador Paulo Câmara, do mesmo partido, também eleito por duas vezes. Em 2010, Eduardo enfrentou o ex-governador Jarbas Vasconcelos (MDB) pela reeleição. Muitos apostavam que Eduardo seria derrotado devido à grande aprovação de Jarbas quando governador, mas o que ocorreu foi a vitória do socialista com mais de 80% dos votos válidos. Em 2014, Paulo Câmara enfrentou o ex-senador Armando Monteiro Neto (PTB), que vinha com apoio da presidente Dilma (PT), do ex-prefeito do Recife João da Costa e do senador Humberto Costa (PT), mas venceu os adversários no embalo da morte de Eduardo Campos, pela ampla frente política organizada em torno de si e pela falta de consistência montada na oposição. Em 2018, novamente Paulo enfrentou Armando na disputa pelo governo e mais uma vez saiu vitorioso. No entanto, a vida em 2022 pode não ser assim tão fácil.

Ao eleger 10 deputados estaduais e receber a adesão de Fabrizio Ferraz, o Progressitas acabou falando grosso nas articulações estaduais e deve repetir o feito em 2020, quando pretende lançar cerca de 80 candidatos, de acordo com o presidente estadual da legenda, deputado federal Eduardo da Fonte (PP). Já são dadas como certas candidaturas nas cidades de Camaragibe, Cabo de Santo Agostinho, Macaparana, Machados, Caruaru, Cupira, Itaquitinga, Paulista, Jaboatão, Passira, Timbaúba, Santa Cruz do Capibaribe, João Alfredo, Cumaru, Iati, Águas Belas, Garanhuns, Calçado, Condado, Ribeirão, Taquaritinga do Norte, Afogados da Ingazeira, Itaíba, Pesqueira, Itamaracá, Limoeiro, Primavera, Sirinhaém, Gameleira, Carnaubeira da Penha, Goiana, Cortês, Araçoiaba, Aliança, Catende, Bom Jardim, Belém de São Francisco, Ibimirim e Bom Conselho, além de outras que estão sendo articuladas pelos deputados de mandato e por lideranças locais. Se atingir a meta de lançar 80 candidatos, há chances reais de eleger ao menos 30 deles, o que automaticamente configuraria o PP como a segunda legenda a fazer mais prefeitos, atrás apenas do PSB do governador.

O MDB, estremecido com o Palácio desde o apaziguamento de forças entre os senadores Jarbas Vasconcelos e Fernando Bezerra Coelho também pretende lançar muitos candidatos a prefeito. Em 2016, foram eleitos 17, sob o comando de Jarbas e do deputado federal Raul Henry e este número deve se ampliar agora com os reforços trazidos por Bezerra Coelho.

Ainda não há sinais claros de rompimento, mas, em havendo resultados expressivos do PP, o nome de Eduardo da Fonte deverá ser automaticamente projetado para disputas majoritárias no estado. E partidos escanteados pelo xadrez estadual, cujos líderes se sentiram magoados com o governador, podem gravitar em torno deste projeto, como o PSD e o AVANTE. Em 2016, o PSD elegeu 17 prefeitos, mas conseguiu a adesão de mais 3 oriundos do antigo PR. Já o AVANTE, agora sob o comando do deputado federal Sebastião Oliveira, deve receber vários prefeitos e pretensos candidatos em todas as partes de Pernambuco. Somente estas 3 siglas já agregariam um terço das prefeituras do estado, suficientes para endossar no mínimo uma candidatura a senador. Somando-se ao MDB, pode ocorrer a consolidação de um grupo político robusto e, pela primeira vez desde 2006, com chances reais de enfrentar o governo do estado.

De fato, o PP ainda está afinado com o PSB, mas tudo indica que os progressistas devem ganhar ainda mais capital político no estado, consolidando-se como fiel da balança em 2022 e ajudando na vitória de qual lado pender.

Visita – Acompanhado pelo deputado federal Ricardo Teobaldo (PODEMOS), o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro (PSL) visitou a cidade de Ipojuca e, ao lado da prefeita Célia Sales (PTB), visitou praias contaminadas e anunciou que serão liberados 200 milhões de reais em linhas de crédito como medida amortizadora do impacto ambiental.

Rompimento – O vereador de Caetés, Irmão Naldinho, anunciou o rompimento com o prefeito Armando Duarte(PTB) e agora engrossa as fileiras da oposição. Naldinho já foi presidente da Câmara na cidade e obteve a maior votação em 2016.

Reconhecimento – O deputado federal Silvio Costa Filho (PRB) foi eleito um dos parlamentares mais influentes, de acordo com a empresa de análise política Arko Advice. O levantamento destaca os parlamentares que atuaram de forma mais decisiva na discussão e aprovação de projetos no Congresso Nacional.

Reconhecimento 2 – Em Pernambuco, a ONG Liberdade PE divulgou uma relação com os melhores gestores municipais, com base em dados públicos estaduais e municipais. A prefeitura de Carpina conseguiu a 20° posição, melhor colocada em toda a Mata Norte. Nesta lista, Camaragibe ficou em 58° lugar.

Educação – Na mesma lista, quando o quesito é educação, o prefeito de Barra de Guabiraba, Dr Wilson (SD), está festejando por ter auferido a melhor posição. Mesmo sendo uma cidade pequena e de poucos recursos, o empenho da gestão e dos professores vêm trazendo resultados expressivos para o município.

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS