Gleide Ângelo cria projeto que combate o racismo nos órgãos públicos

Saiba mais informações clicando no link

Delegada Gleide Ângelo apresenta novo PL para filhos de vítimas de feminicídio
Projeto que assegura prioridade nos programas habitacionais às mulheres vítimas de violência, passa pelas comissões da Alepe
Radar Político (18/02) – Gleide Ângelo e o desafio do PSB de convecê-la a disputar a Prefeitura de Jaboatão

A deputada Delegada Gleide Ângelo apresentou o projeto de lei Nº 2560, que visa combater o racismo e a discriminação por parte de agentes públicos quando do atendimento ao público. A proposta veta a recusa de fotografias fornecidas por qualquer pessoa que desejar emitir documentos ou ter acesso a produtos, serviços e ofertas de vagas de trabalho, em razão do uso de penteados, cortes ou tons de cabelo, roupas e acessórios de origens étnico-raciais.

Há pouco mais de uma semana, o caso de uma engenheira mineira, que usa tranças afro desde a infância, e teve sua foto 3×4 recusada na hora de solicitar a 2ª via da Carteira de Identidade figurou entre os principais jornais do país. Infelizmente, tais casos não são exceção: “Quantos homens e mulheres já devem ter voltado para casa porque a foto deles, usando tranças ou cabelos black power, não foram aceitas? E este é apenas um recorte de raça. O racismo e qualquer tipo de discriminação seja ela de cor, raça, sexo, idade e religião, de origem nacional ou regional precisa ser combatido com veemência”, explica a parlamentar.

Assim, o projeto apresentado também estabelece a punição com multas que variam entre R$ 5.000,00 a R$ 100.000,00 para todo e qualquer infrator, seja ele pessoa física ou mesmo empresas privadas. Além disso, a penalidade não exime da instauração de processos cíveis ou mesmo penais. Importante destacar que há mais 30 anos que o racismo é compreendido como crime, cuja pena pode chegar até três anos de prisão. De acordo com o último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Pernambuco, aproximadamente 66% da população se declara negra.

COMMENTS