Governo de Pernambuco investe R$ 4,2 milhões na prevenção ao câncer de colo de útero

Programa “Útero é Vida” será ampliado, atendendo 80 mil mulheres, nos próximos dois anos, e validando exames de identificação do HPV

Paulo Câmara Governo de Pernambuco
O combate ao câncer de colo de útero ganhou reforço em Pernambuco e recebeu um aporte de R$ 4,2 milhões, autorizado pelo governador Paulo Câmara, nesta terça-feira (13.12). A iniciativa permitirá a continuidade do “Útero é Vida”, por meio da validação do exame de identificação do vírus HPV. Além disso, vai proporcionar a ampliação do programa, garantindo a realização da testagem, nos próximos dois anos, em 80 mil mulheres. Dessas, serão 60 mil beneficiadas no Recife e 20 mil em oito municípios da Mata Sul de Pernambuco (Amaraji, Barreiros, Cortês, Lagoa dos Gatos, Primavera, Ribeirão, São Benedito do Sul e Tamandaré). O Estado contabiliza, todo dia, pelo menos uma morte por conta dessa doença altamente prevenível.
 
“Saúde Pública se faz além dos investimentos nas unidades e hospitais. Precisamos estar atentos às políticas sociais, principalmente, aquelas que dizem respeito à prevenção. Essa é uma ação estruturadora, que agora vamos dar uma prioridade maior, promovendo ainda mais a saúde da mulher pernambucana. Será determinante para o futuro e para salvar vidas”, declarou Paulo Câmara. O programa tem como objetivo a reorganização da linha de cuidado deste tipo de câncer no Estado, definida por meio da Carta Acordo, constituída pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) e a Secretaria Estadual de Saúde (SES). 
 
“Desde 2019, trabalhamos com a possibilidade de iniciar a prevenção não pela citologia, como é feito hoje, mas pelo teste do HPV. Esse teste comercialmente falando é muito caro, então, foi iniciado um estudo com um teste que tivesse custo aceitável para o SUS. Além dessa validação, estamos também fazendo toda a evolução da linha de cuidado, para oferecer um serviço ideal de acompanhamento em caso de resultado positivo”, esclareceu a médica Letícia Katz, coordenadora técnica do programa. 
 
“Nos últimos quatro anos, já foram investidos R$ 18 milhões nesse combate. A continuidade dele possibilita, num futuro próximo, diminuir as desigualdades no acesso aos serviços e políticas de Saúde, reduzindo também o número de óbitos pela doença em nosso Estado”, destacou o secretário de Saúde, André Longo. 
 
Além da Cooperação Técnica com a OPAS, o “Útero é Vida” conta com a participação de instituições de outros países, como a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC), e nacionais, como a Fiocruz – Ceará/ FIOTEC, o Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz Pernambuco), o IMIP, o Hospital de Câncer de Pernambuco, a Universidade Federal de Pernambuco, o Hospital de Amor de Barretos (SP) e o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.
 
Estiveram presentes no Palácio do Campo das Princesas o diretor-geral da OPAS, Jarbas Barbosa; a representante da OPAS no Brasil, Socorro Gross; o coordenador do Termo de Cooperação OPAS/SES-PE, Mozart Sales; a secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque; o secretário executivo de Saúde da SES, Humberto Antunes; o vice-diretor de pesquisa da Fiocruz, Manoel Lima e a superintendente geral do IMIP, Teresa Campos.

COMMENTS