José Queiroz lamenta demora na vacinação contra Covid-19

“Abril ainda não terminou e já é o mês mais letal desde o início da pandemia.” destacou parlamentar

Ricardo Brennand ganha título de Patrono do Empreendedorismo Pernambucano
Presidente da Alepe participa da posse da nova diretoria da Unale
Eriberto Medeiros determina providências após embate entre parlamentares

MORTES – “Abril ainda não terminou e já é o mês mais letal desde o início da pandemia.” Foto: Roberta Guimarães

O deputado José Queiroz (PDT) lamentou a possibilidade de que a vacinação dos grupos prioritários só seja completada em setembro. Em discurso na Reunião Plenária desta quinta (22), ele repercutiu o anúncio feito pelo Ministério da Saúde nessa quarta (21). Inicialmente, o Plano Nacional de Imunização (PNI) previa que essas 77 milhões de pessoas fossem vacinadas até maio.

“Abril ainda não terminou e já é o mês mais letal desde o início da pandemia. Estamos nos encaminhando velozmente à marca dos 400 mil mortos. E a imunização está ficando mais lenta, em vez de acelerar”, frisou o pedetista. Na avaliação de Queiroz, o quadro do Brasil é “dramático”.

“Vimos  especialistas falando que poderíamos chegar a 600 mil mortos no País até o fim desta crise sanitária. Eles podem ter razão”, observou. O parlamentar defendeu um lockdownmais rígido, como o que foi feito pelo município de Araraquara (SP). “Lá, conseguiu-se diminuir o número de mortes. A cidade agora recebe pacientes de outras localidades em seus hospitais”, relatou.

Outro tema abordado foi a participação do presidente Jair Bolsonaro na Cúpula do Clima. “Ele, que era afinado com os ataques ao meio ambiente do ex-presidente Donald Trump, agora faz discurso pela preservação, que não tem nada a ver com o Bolsonaro que conhecemos”, prosseguiu Queiroz. “Ainda bem que a luta pela preservação da Amazônia fez o Governo brasileiro recuar em algumas posturas.”

COMMENTS