Justiça Eleitoral manda Humberto tirar “fake news” postadas contra os candidatos a senador Mendonça Filho e Bruno Araújo

Justiça Eleitoral manda Humberto tirar “fake news” postadas contra os candidatos a senador Mendonça Filho e Bruno Araújo

A juíza do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Pernambuco, Karina Albuquerque Aragão de Amorim, determinou que o senador Humberto Costa (PT) reti

Em Brasília Edson Vieira cumpre agenda com presidente do PSDB
Prefeita do PSD anuncia apoio a Armando Monteiro
Ricardo Teobaldo parabeniza Bruno Araújo pela presidência do PSDB

A juíza do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Pernambuco, Karina Albuquerque Aragão de Amorim, determinou que o senador Humberto Costa (PT) retire imediatamente a “Fake News” postada nas suas redes sociais com ataque aos candidatos ao Senado pela Coligação Pernambuco Vai Mudar, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB). A “Fake News” postada no Facebook e no Instagram faz uma montagem com as imagens de Mendonça Filho, Bruno Araújo, e do também candidato ao Governo pela coligação Pernambuco Vai Mudar, Armando Monteiro, e o senador Fernando Bezerra Coelho, ao lado do presidente da República, Michel Temer, com os dizeres “Turma de Temer”.

      Segundo a juíza, o conteúdo da postagem, publicado no perfil do candidato Humberto Costa, não é verdadeiro e a fonte citada do conteúdo não traz a referida afirmação e tem afirmações incoerentes com o conteúdo pesquisado. O presidente Temer é filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que está coligado à Frente Popular de Pernambuco, do candidato Paulo Câmara, e que também conta com o Partido dos Trabalhadores (PT), de Humberto Costa. “É inverídico informar que quem faz parte do palanque de Temer é Humberto Costa, que tem o apoio do MDB. O senador, inclusive, se beneficia do generoso tempo do guia eleitoral do MDB “temista”, argumenta a representação movida pela Coligação Pernambuco vai Mudar.

      Além disso, não houve qualquer pronunciamento oficial de o próprio Michel Temer no apoio à coligação de Armando, Mendonça e Bruno.  “Diante do exposto, considerando que os representantes são candidatos nas Eleições 2018 e, que a imagem e reputação dos mesmos vêm sendo violada por notícias inverídicas, reputo presente a probabilidade do direito alegado, no tocante à retirada da postagem da propaganda combatida no ar”, apresenta a relatora na medida liminar.

COMMENTS