Kaio Maniçoba faz balanço da sua gestão à frente do IPA

Saiba mais informações clicando no link

Kaio Maniçoba

O Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco (SDA), vem investindo, planejando e executando ações estratégicas a fim de fortalecer e elevar a competividade da Agricultura Familiar local. A comprovação está nos excelentes resultados obtidos nas áreas de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), Pesquisa e Infraestrutura Hídrica, apresentados no último ano.

“O foco é desenvolver o meio rural, por meio da geração de renda e da elevação da qualidade de vida do agricultor familiar, minimizando às adversidades e dificuldades enfrentadas pelas famílias rurais, principalmente frente a pandemia do Covid-19”, destaca o presidente do IPA, Kaio Maniçoba.

Segundo ele, foi a partir desse desafio que foram implementados projetos importantes durante o ano de 2021, sejam por iniciativa do IPA ou em parceria. Entre eles está o investimento em infraestrutura, com a reforma, inauguração e reabertura de escritórios municipais. O IPA está presente em 184 municípios e no arquipélago de Fernando de Noronha. Uma licitação possibilitou a aquisição de veículos novos, que facilitaram a locomoção dos técnicos no campo. A sede também foi repaginada, com o desenvolvimento de identidade visual e a instalação de uma recepção no térreo.

Um importante marco foi a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica com o Banco do Nordeste, a fim de incrementar a aplicação do microcrédito rural no Estado. “Um momento importante de retomada da parceria com o Banco do Nordeste, assinando esse convênio que visa fortalecer a Agricultura Familiar, levando recursos para os que mais necessitam. Além disso, tirando o IPA de uma condição de inadimplência”, falou Kaio Maniçoba.

Em 2021, foi inaugurado o Centro de Produção e Comercialização de mudas do IPA (CPC-IPA), na sede do Instituto, no Bongi. Entre as diversas ações propostas para o CPC-IPA, estão a produção e comercialização de 20 mil mudas frutíferas, sete mil mudas florestais, cinco mil mudas ornamentais e três mil mudas de plantas medicinais e hortícolas por ano, que serão disponibilizadas na sede. 

“Para isso será utilizada uma casa de vegetação para produção e manutenção das mudas e pagamento efetuado com emissão de notas fiscais”, explica o presidente do IPA, Kaio Maniçoba. O IPA também passa a oferecer consultoria em análise de águas. Nesse sentido, também foi implantado o Programa de arborização dos municípios, que utilizamudas florestais adaptadas às condições dos territórios, na perspectiva de contribuir para a manutenção da biodiversidade local, implantando áreas de revegetação.

Na área da Extensão Rural, o IPA assistiu mais 17.282 mil famílias agricultoras, em 2021, entre indígenas, pescadores, assentados, quilombolas e povos tradicionais. Foram registradas 870 famílias assentadas, em 112 assentamentos, e 7.304mulheres assistidas (chefes de família). Além disso foram 117.914 assistências técnicas e 130 capacitações (cursos, oficinas, intercâmbios, dias de campo, entre ouros), com execução de 318 ações e projetos executados e 58 Unidades de Referências Implantadas, com acompanhamento para famílias em situação de extrema pobreza. Foram investidos mais de R$ 4.128.009,00 reais, em 2021, para compra e distribuição de 856.310 quilos de sementes de sorgo, milho e feijão. Foram beneficiadas 142.719 no Sertão e Agreste pernambucano. “Para 2022, adquirimos mais de R$ 13 milhões, o triplo do orçamento anterior. Um recorde, já que é o maior valor dos últimos 10 anos”, destaca o presidente do IPA, Kaio Maniçoba.

Por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), modalidade Doação Simultânea, o IPA contabiliza 585 entidades sócio assistências atendidas, 2845 agricultores fornecedores de produtos agrícolas e 400 mil refeições viabilizadas. Foram adquiridos 3.019.300 quilos de alimentos, com investimento de R$ 8.115.000,00. A estimativa é que foram oferecidas uma média de 36 mil refeições/mês. Dos agricultores e agricultores fornecedores, foram incluídos produtores orgânicos, indígenas, além disso 40% são mulheres.

Outro destaque é a atuação do IPA (Extensão Rural) no Programa Nacional de Crédito Fundiário PNCF 2021. Foram 728 mil reais para Assistência Técnica e Projetos Produtivos em três assentamentos. Por meio do Programa de Crédito Rural, foram aprovados 175 projetos com investimento de R$ 4.914.819,70.

O IPA renovou o convênio com a Administração de Fernando de Noronha para Assistência Técnica nas áreas de Criação de animais (caprinos, ovinos, bovinos, equinos e abelhas), Pesca e Agricultura, Segurança Alimentar e Nutricional e Acesso às políticas públicas. “Conseguimos implantar uma fábrica de gelo no arquipélago, com investimento de R$ 350 mil”, afirma Kaio.

O número de famílias beneficiadas pelo Programa de Fomento, realizado pelo Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o Governo Federal, por meio do Ministério da Cidadania, chegou a 1690 famílias, com investimento de R$ 4.008.000,00. Desse total,1.342 famílias receberam, pelo Programa Dom Hélder, as duas parcelas para implantação do projeto produtivo no valor de R$ 2.400,00.

O investimento somou R$ 3.220.800,00. O restante foi para investimentos ao Acordo Cooperação Técnica – ACT, que somou R$ 787.200,00, para 348 famílias, que também receberam as duas parcelas para implantação do projeto produtivo no valor de R$ 2.400,00.

Na área da Pesquisa, o IPA vem desenvolvendo na área de bovinos, caprinos e ovinos, culturas alimentares e de recursos e serviços ambientais e biotecnológicos. No último ano, foram mais de 80 projetos, que resultaram em 238 ações. “Essas iniciativas possibilitaram avançar no aprimoramento para a obtenção de novas cultivares, elevando a rentabilidade dos atuais sistemas de produção, bem como viabilizaram a oferta de matrizes e reprodutores bovinos, caprinos e ovinos de alta qualidade genética”, explica Kaio.

Destaque para a reforma de Estações Experimentais e laboratórios, como o laboratório de solos, e a implantação, na Estação Experimental de São Bento do Una – EESBU, com apoio financeiro da FACEPE, do laboratório de análise de qualidade de leite.

Outra conquista foi o projeto Centro de Laboratório Multiusuários do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA). Aprovado pela FINEP, viabilizou a instalação de quatro laboratórios nas áreas de Água, Plantas e Rações; Genoma; Biologia do Solo e de Biotecnologia. Segundo o presidente do IPA, Kaio Maniçoba, o investimento total é de R$ 3.347.940,00.

“O centro tem como finalidade, não só atender aos pesquisadores do IPA, como também a pesquisadores e alunos de universidades, empresas e outros centros tanto nacionais como internacionais, será equipado com equipamentos de alto desempenho nas áreas de Fermentação, genoma, separação de produtos e analises de água, plantas e solo”, explica ele.

Mais uma ação importante foi a participação do IPA na I Expoagro Nordeste. Na mostra, o Instituto obteve premiação com os animais da raça Girolando, tendo três animais premiados: ‘IPA Iris’, grande campeã – vaca jovem adulta; ‘IPA Calmaria’, reservada campeã, e o touro ‘IPA Labial’, grande campeão da raça Girolando.

Além disso, a FACEPE – Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco aprovou mais de dez projetos, somando mais de R$ 1milhão. Os trabalhos são direcionados aos vários segmentos da agricultura, como por exemplo, a palma forrageira, feijão, pastagem, cebola, gado de leite, biodigestor, biofertilizantes, dentre outros.

Na área de Recursos Hídricos, o IPA perfurou 658 poços, com 105 instalações. Além disso, houve a construção, recuperação, manutenção e desassoreamento de 60 aguadas apenas iniciadas em dezembro de 2020 concluídas em outubro de 2021 através de Contrato de Repasse/CODEVASF. E mais 31 aguadas em Caruaru (12), por meio de emenda parlamentar, Riacho das Almas (04), Santa Terezinha (02), Nazaré da Mata (02), Macaparana (07), Chã de Alegria (02), Lagoa Grande (01) e Vicência.

Serviços de melhoramentos e recuperação de pequenos açudes e barreiros foram realizados nos municípios de: Salgueiro, Santa Cruz de Malta e Araripina. A diretoria de Recursos Hídricos realizou ainda diversas visitas técnicas e emitiu pareceres técnicos.

Todas ações desenvolvidas pelo IPA foram projetadas dentro do Plano de Negócios 2021/2024. “Esse é um importante instrumento institucional de planejamento e de referência para execução dos objetivos da instituição”, afirma o presidente. Foram elaborados sete planos de negócios. O intuito é que o IPA possa se tornar financeiramente sustentável a fim de aprimorar, fortalecer e incrementar a pesquisa e desenvolvimento local nas áreas de bovinocultura de leite, palma forrageira, sementes de cebola, melhoramento genético do rebanho bovino, caprinos e ovinos, melhoramento genético do gado guzerá e cana de açúcar.

COMMENTS