Movimentação de passageiros do Aeroporto do Recife em novembro supera em 6% a pré-pandemia

Foram 739. 312 passageiros chegando e saindo pela porta principal do Estado em novembro. No mesmo período em 2019, foram cerca de 700 mil pessoas

Aeroporto do Recife já recebeu mais de 6 milhões de pessoas em 2019
Feitosa afirma que diminuição da pista será um dos grandes problemas da privatização do Aeroporto do Recife
Pernambuco bate recorde de movimentação no Aeroporto do Recife


Pernambuco continua a acumular excelentes resultados no setor da aviação. Após o anúncio dos indicadores extremamente positivos na malha aérea de 2021 – especialmente a de dezembro, que superou em 5% a do período em 2019 -, o destaque agora são os números registrados na movimentação de passageiros do Aeroporto Internacional do Recife – Gilberto Freyre em novembro.

Dados fornecidos pela administradora do terminal, a Aena, e tabulados pela Unidade de Pesquisa da Empetur, apontam aumento de 6% no total de passageiros chegando e saindo de Pernambuco pelo complexo aeroportuário. Foram 739.312 passageiros no período em 2021, enquanto em 2019, o montante se aproximou de 700 mil – 698.535 visitantes, para ser exato.

No acumulado de 2021, a análise indica que, de janeiro a novembro, o terminal recebeu 6.728.993 pessoas, enquanto que em 2019, foram 7.937.846  usuários. Em comparação ao mesmo período na pandemia, janeiro a novembro de 2020, o crescimento beirou 60,44% – foram 4.194.127 pessoas.

“É bastante animador acompanhar e divulgar os recentes números obtidos na movimentação de passageiros de novembro. Pelo segundo mês consecutivo, o Aeroporto do Recife obteve crescimento no fluxo de turistas e visitantes chegando e partindo do destino Pernambuco. O resultado vem de muito trabalho, feito em parceria pelo Governo do Estado, as companhias aéreas, a Aena e todo o trade turístico local. Com o avanço da vacinação e o cumprimento dos protocolos sanitários, conseguiremos alavancar cada vez mais os números da aviação e, com isso, mostraremos o potencial surpreendente de Pernambuco para o setor”, comemora o secretário de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes.

Além do terminal Gilberto Freyre, no Recife, outros aeroportos do Nordeste também registraram crescimento no fluxo de passageiros no último mês. Em Salvador, foram registradas 578.066 chegadas e partidas ao terminal. Já em Maceió, o equipamento alagoano da capital recebeu cerca de 199.995 passageiros.

IBGE: Pernambuco ocupa o 2º lugar no ranking nacional do Índice de Volume das Atividades Turísticas em outubro

De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo IBGE na última quinta-feira (16),  Pernambuco é, mais uma vez, destaque no ranking entre os que mais cresceram no índice de volume atividades turísticas com ajuste sazonal do País. No mês de outubro, assumimos a vice-liderança da lista, com índice absoluto de 111,5, enquanto a média nacional foi de 78,6. À frente do Estado, apenas Goiás, com 114,5.

No apurado de janeiro a outubro deste ano, entre os Estados do Nordeste, Pernambuco lidera, com índice de 94,2. A Bahia aparece na vice-liderança, com  83,1, e o Ceará, com 70,7, fechando os rankings dos três maiores destinos pesquisados pelo IBGE nos dez meses consolidados de 2021.

“Nos últimos meses, Pernambuco tem aparecido como um dos Estados com maior volume de atividades turísticas do País. Nesta fase de retomada, a expectativa é de que estejamos sempre nas primeiras colocações nas pesquisas. Temos aproveitado a boa fase para divulgar os nossos destinos para o trade nacional, com ações de promoção e interiorização a partir do projeto Bora Pernambucar, e seguiremos com bons projetos também em 2022, buscando fortalecer cada vez mais o nosso turismo”, salienta o presidente da Empetur, Antonio Neves Baptista.

RECEITA NOMINAL

No Índice de Receita Nominal com ajuste sazonal, Pernambuco obteve crescimento de 6,1%, de setembro a outubro de 2021. Já em comparação com janeiro a outubro de 2020, o crescimento obtido é de 49,3%. O índice também aponta que o Estado ocupa a quarta posição no ranking nacional, com média de 133,1, ficando atrás de Goiás (142,8), Ceará (134,5) e Bahia (133,7).

COMMENTS