Multinacional francesa faz investimento bilionário em Suape

Qair Brasil produz o chamado hidrogênio verde, fonte de energia para o setor industrial

Parceria entre Suape e Unesco vai investir mais de R$ 5,7 milhões em preservação e desenvolvimento sustentável de comunidades do complexo
Geraldo Julio anuncia autorização para Porto de Suape receber navios de 366 metros de comprimento
Porto de Suape será hub logístico da Argentina para o Nordeste

Qair Brasil produz o chamado hidrogênio verde, fonte de energia para o setor industrial

O governador Paulo Câmara anunciou, nesta sexta-feira (28.05), que Pernambuco iniciou estudos de viabilidade técnica e econômica para implantação de uma planta de produção de hidrogênio verde no Porto de Suape. O projeto é da empresa Qair Brasil, de origem francesa, que tem como principal atividade a produção independente de energia elétrica a partir de fontes alternativas. A iniciativa, nomeada de Planta de Hidrogênio Verde Pernambuco, prevê a instalação de quatro conjuntos de eletrolisadores de água em áreas localizadas no Porto de Suape, em quatro fases de implantação. Quando consolidado, o empreendimento pode vir a se transformar no segundo maior da história do Estado.

“Uma das gigantes mundiais na produção de energias renováveis está aportando em Suape para instalar uma planta que vai gerar o chamado hidrogênio verde, um insumo valioso para o setor industrial. É um investimento que pode chegar a três bilhões e oitocentos milhões de dólares, o equivalente a mais de 20 bilhões de reais. Mais um grande empreendimento que vai criar empregos e renda no nosso Estado”, reforçou Paulo Câmara.

Com alto potencial para geração de energia sem emissão de gás carbônico, o hidrogênio verde (H2V) é obtido a partir da usina de eletrólise que separa o oxigênio e o hidrogênio da água. É chamado de verde porque a usina que o produz funciona a partir de fontes de energia 100% renováveis. O H2V é insumo para muitas indústrias, já existindo até como combustível para veículos. Também é utilizado para produzir amônia, um dos principais fertilizantes para o agronegócio, do qual o Brasil é um importante consumidor.

“O governo de Pernambuco tem um trabalho ativo nas políticas de atração de investimentos com prioridade para os que ajudam o planeta a reduzir as emissões de carbono. Um investimento de bilhões de dólares, que trata da economia do futuro e amplia ainda mais a nossa matriz de geração de energia por fontes renováveis. Nosso Estado é o melhor lugar para esse investimento, inclusive pela visão estratégica de Suape”, pontuou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio.

A planta em Pernambuco vai dispor dos processos combinados de eletrólise, bombeamento e liquefação, permitindo o envio do produto para longas distâncias, além da reforma de gás natural. “Esse projeto mostra a capacidade do Complexo de Suape e sua diversidade em abraçar indústrias de vários tipos. Estamos de olho no futuro, já que o hidrogênio verde é uma inovação mundial, tem grande potência de investimento, sustentabilidade e desenvolvimento da economia verde”, comentou o diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão.

“Foi uma agradável surpresa para nós o comprometimento e a agilidade com que o Governo de Pernambuco acolheu nossa demanda. Gostamos de parcerias assim. Acredito que esse será o primeiro de outros projetos que podemos vir a desenvolver em Pernambuco”, afirmou Jorge Borrell, CEO da Qair Brasil.

COMMENTS