“Obrigar empresas a emprestar dinheiro é confisco”, diz Silvio Costa Filho

Saiba mais informações clicando no link

Deputado Clóvis Paiva comemora novo empreendimento para Ribeirão
Gustavo Gouveia busca apoio da AD Diper para investimentos na Mata Norte
Paulo Câmara coordena reunião sobre reforma tributária com Rodrigo Maia


OPINIÃO
Todos os trabalhadores e empresários do mundo estão preocupados com os efeitos colaterais do novo coronavírus. Em função da grave crise econômica, alguns empresários defendem o fim do isolamento social e acham que é a única forma de salvar as suas empresas. Muitos trabalhadores que lutam pela manutenção dos seus empregos começam a aderir essa tese. Sou favorável ao isolamento social e, neste momento de dualismo entre economia e saúde, fico com a ciência. A história mostra que em todas as crises do mundo foi o Estado quem se endividou para resolver o presente e garantir o futuro. O momento é de fazer o possível e o impossível para salvar empresas e empregos.

Em função disso, quero fazer um apelo ao autor do PLP 34/2020, deputado Wellington Roberto, para que ele analise a possibilidade da retirada do projeto.

Sabemos que as empresas, independente do seu tamanho e do lucro, estão sofrendo os efeitos dessa crise indecifrável. Entendo que não é onerando quem gera emprego e renda, que vamos resolver o fluxo de recursos para o combate ao coronavírus. Não podemos correr o risco de aprovar projetos que no futuro possam ter problemas de inconstitucionalidade. Precisamos pensar no pós-coronavírus, retomando o debate das importantes reformas econômicas e, acima de tudo, prezando pela segurança jurídica em nosso País. Por isso, sou contra o PLP 34/2020.

Silvio Costa Filho – Deputado Federal

COMMENTS