Orçamento do gabinete responsável pela gestão da revitalização do Centro do Recife representa nem 1% das despesas totais da prefeitura em 2022, aponta Alcides Cardoso

Saiba mais informações clicando no link

Alcides Cardoso Recife
Com a marca de um ano do lançamento do Recentro, o vereador Alcides Cardoso (PSDB) criticou, em reunião ordinária da Câmara do Recife nesta segunda-feira (12), o baixo orçamento do Gabinete do Centro do Recife, responsável por tocar o programa de revitalização dos bairros de São José, Santo Antônio e do Recife. Em discurso na tribuna da Casa José Mariano, o parlamentar apontou que o dinheiro destinado ao orçamento do gabinete em 2022 não chega a representar nem 1% das despesas totais da Prefeitura do Recife neste ano.

“Como defensor do fortalecimento das ações no centro, vou além da crítica política necessária e recorro aos números do orçamento do gabinete criado para dar nova vida ao coração de nossa cidade para expor o que pode ser uma das causas da lentidão do programa na entrega de projetos estruturadores, como o embutimento da fiação elétrica e de telecomunicações do bairro do Recife, prometido para ser entregue ainda neste ano, mas que não começou a ser feito. Os números não mentem. Toda a propaganda feita em relação ao lançamento do Recentro não se refletiu até hoje em um orçamento para que o programa possa entregar tudo que a gestão promete. Vejam só: o orçamento do Gabinete do Centro do Recife é de apenas R$ 1,7 milhão, enquanto as despesas totais da prefeitura em 2022 totalizaram R$ 5 bilhões e 200 milhões”, disse Alcides Cardoso.

O tucano ressaltou que as ações ligadas ao Recentro podem ser realizadas a partir de outras secretarias e órgãos da administração indireta, mas ponderou, contudo, “que o fato muito questionável é que o orçamento disponibilizado para a unidade gestora do programa em si seja tão pequeno”.

“Do dinheiro pertencente ao orçamento do gabinete que foi executado, 71% foram destinados a pagamentos de servidores e apenas 2% foram para investimentos. Ou seja, o órgão criado para tocar a revitalização do centro tem uma capacidade de investimento que não bate com as promessas de entregas da prefeitura. E o cenário para o ano que vem tende a ser o mesmo, já que na proposta de orçamento para 2023 enviada pela prefeitura, estão previstos apenas R$ 2,3 milhões para o Recentro”, complementou o oposicionista.

Na sua fala, o vereador elogiou a chefe do Gabinete do Centro do Recife, Ana Paula Vilaça, a quem se referiu como uma “profissional exemplar e competente”, mas destacou que ela está de “mãos atadas e sem condições de trabalhar” diante do baixo orçamento do órgão que comanda.

“A Prefeitura do Recife tem que direcionar um orçamento que possa viabilizar ações que mudem realmente a cara do centro. E que comece a entregar o que prometeu, a exemplo do embutimento dos fios, acabando com a poluição visual e valorizando as belezas do coração de nossa cidade, o projeto de aluguel social de 450 unidades habitacionais e a reestruturação da Avenida Dantas Barreto. Os recifenses aguardam há muito tempo por esse resgate do nosso centro e a gestão precisa priorizar de verdade a sua revitalização”, finalizou Alcides

COMMENTS