Pacote de projetos que proíbe descartáveis plásticos em Pernambuco na berlinda

Pacote de projetos que proíbe descartáveis plásticos em Pernambuco na berlinda

A pedido dos empresários do setor de plástico, a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da Assembleia Legislativa de Pernambuco (CCLJ/Alepe)

Prefeitura de Serra Talhada realiza ações de educação ambiental nos bairros da cidade
Comissão de Meio Ambiente da Alepe debate os impactos ambientais da construção da Escola de Sargento de Armas do Exército em Pernambuco
Vereadora do Recife articula retirada de animais silvestres do Parque 13 de Maio

Deputada estadual Simone Santana (PSB)

A pedido dos empresários do setor de plástico, a Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da Assembleia Legislativa de Pernambuco (CCLJ/Alepe) promove nesta terça-feira (24) audiência pública para discutir três Projetos de Lei (PLs) que preveem a proibição gradativa da distribuição e comercialização de embalagens plásticas.

A reunião contará com a presença de ativistas ambientais, empresários que adotaram práticas de produção sustentáveis, sociedade civil organizada e Governo do Estado, além dos deputados que propuseram os PLs.

São eles:

O PL nº 68/2019, de autoria da deputada Simone Santana, que proíbe a distribuição e comercialização de canudos não biodegradáveis no Estado;

O PLº 76/2019, proposto pelo deputado William Brígido, que prevê a substituição pelos supermercados das tradicionais sacolas de plástico por embalagens biodegradáveis.

E o  PL nº 200/2019, de autoria da deputada Simone Santana, que proíbe a comercialização e distribuição de utensílios plásticos na orla pernambucana.;

Em média, o plástico leva 450 anos para se decompor. Isso significa que nenhum objeto de plástico produzido na Terra se decompôs ainda. Estima-se que a produção em 2050 chegue a 33 bilhões de toneladas. Neste mesmo ano, cientistas calculam que existam mais plásticos do que peixes nos mares. Outra projeção é que, neste mesmo ano, 99% das espécies de aves marinhas possuirão plástico no estômago. Mais de 40% de todo o plástico produzido durante os últimos 150 anos foi usado uma única vez antes do descarte.

“O mínimo que podemos fazer é pensar em alternativas para que nosso modelo de produção se torne mais sustentável e que o consumo de descartáveis caia drasticamente. Disso depende o futuro dos ecossistemas dos quais a humanidade faz parte”, afirma a deputada Simone Santana, autora de dois dos Projetos de Lei em pauta.

Serviço:

Debate sobre PLs que reduzem o consumo de descartáveis plásticos em Pernambuco

Data: 25/06

Hora: 8h30

Local: Auditório Senador Sérgio Guerra / Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco

COMMENTS