Pastores e líderes religiosos podem ser presos por pregar a palavra de Deus, alerta Pr. Cleiton Collins

Pastores e líderes religiosos podem ser presos por pregar a palavra de Deus, alerta Pr. Cleiton Collins

A culpa é da inércia da bancada evangélica no Congresso

Comissão de Justiça aprova PEC que fixa percentual de emendas
De licença médica, Álvaro Porto critica fim da DECASP e afirma que votaria contra a extinção
Alepe homenageia os 43 anos do CEHM

O deputado estadual Pr. Cleiton Collins (PP), utilizou as redes sociais para lamentar a decisão do Supremo Tribunal Federal de enquadrar a homofobia no crime de racismo. Para Collins, a decisão do STF pode atingir diretamente os líderes religiosos por pregarem a palavra de Deus. “Infelizmente o Supremo deliberou que homofobia é crime de racismo. Como ficará a pregação do evangelho como sempre foi pregado, e a liberdade de expressão em nosso país?”, questionou.

Collins também aproveitou para cobrar uma postura mais energética da bancada evangélica federal para legislar sobre o tema. “O Congresso ficou inerte, aí o Supremo vai e delibera. Bancada evangélica federal, bancada cristã, é necessário vocês reagirem!”, cobrou.

O deputado destacou que recentemente apresentou um Projeto de Lei na Assembleia Legislativa que visa garantir a liberdade de expressão dos pastores e líderes religiosos no estado. “Aqui em Pernambuco eu apresentei uma proposta que proteje os ministros que pregam a palavra de Deus como ela é”.

Uma das principais vozes do seguimento evangélico em Pernambuco, Pastor Cleiton Collins é coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Vida, Família e Políticas Sobre Drogas.

Escrito por Wellington Ribeiro

COMMENTS