Paulo Câmara chama de “inconsequentes” manifestações que defendem intervenção militar

Saiba mais informações clicando no link

Radar Político (03/02) – Bolsonaro e os desafios na relação com o Congresso
Maioria dos recifenses desaprovam Bolsonaro, governador Paulo Câmara e prefeito Geraldo Júlio, aponta pesquisa
Presidente da ACS-PE: “Programa habitacional para Policiais deverá ser assinado por Bolsonaro na próxima segunda-feira (13)”

Em respostas às manifestações ocorridas neste domingo (19), onde em Pernambuco apoiadores do presidente Bolsonaro se reuniram em frente ao Comando Militar do Nordeste defendendo o fechamento do Congresso e o retorno do Ato Institucional número 5, ação que entre outras coisas resultou na perda de mandatos de parlamentares contrários aos militares, intervenções ordenadas pelo presidente nos municípios e estados e também na suspensão de quaisquer garantias constitucionais na época da ditadura militar, o governador Paulo Câmara (PSB) chamou a atenção em seu perfil no Twitter para a crise causada pela pandemia e ressaltou sobre a necessidade de união e instituições fortes. Câmara também não poupou críticas para aquilo que considera “Falsos conflitos e manifestações inconsequentes” que se apresentam como uma “agressão ao país”.

Claramente contrário à intervenção militar ou qualquer caminho que se desloque da democracia, o governador fez questão de destacar o seu otimismo em relação a superação deste momento. “Vamos vencer na Democracia, com diálogo, responsabilidade e respeito, não com bravatas”, concluiu.

COMMENTS