PCR injeta R$ 230 milhões na economia local com o pagamento da folha nesta sexta-feira (29)

pagamento dos servidores aquece economia local num dos momentos mais delicados da história.

Alberto Feitosa fala sobre energia nuclear em palestra no sertão
Mais cinco empresas apresentam intenção de se instalar em Vitória de Santo Antão
Prefeito de Paudalho se reúne com comerciantes via on-line para orientação sobre retomada econômica na cidade

pagamento dos servidores aquece economia local num dos momentos mais delicados da história.

Amanhã (29.01), a Prefeitura do Recife realiza o pagamento da primeira folha do ano de 2021. O pagamento é referente aos cerca de 39 mil servidores ativos e inativos (aposentados e pensionistas) da administração direta e indireta da estrutura municipal. São R$ 230 milhões injetados na economia do município, montante que chega num momento desafiador da economia, tanto no cenário nacional como local.

Com uma população de aproximadamente 1 milhão e 600 mil pessoas e com uma média 4 pessoas por família, o pagamento da folha da Prefeitura do Recife acaba impactando diretamente cerca de 10% da população. “A economia já vinha de um processo muito delicado de recuperação e retomada. Com a pandemia esse cenário complicou bastante e manter em dia o pagamento da folha foi um dos compromissos da gestão com o objetivo de manter a economia local aquecida”, explica o secretário executivo de Administração, Diego Rocha.

Sobre o orçamento – Com uma projeção orçamentária para 2021 (Lei Orçamentária Anual – LOA) de R$ 6,1 bilhão, o pagamento da folha corresponde hoje a 47,52% do orçamento municipal, estando abaixo do limite legal permitido, que é de 54% do comprometimento do orçamento. A formação do orçamento do município conta com fontes diversas na sua composição, entre elas captação de recursos de agentes internos e externos, operações de crédito, transferências, convênios, além da cobrança de tributação de competência do Município, como é o caso o IPTU, ITBI e o ISS.

COMMENTS