Política em Dia (24/08) – Novas lideranças que se projetam – Por Marcelo Velez

Política em Dia (24/08) – Novas lideranças que se projetam – Por Marcelo Velez

É natural o resultado de uma eleição catapultar o nome de determinados candidatos para as eleições posteriores. Assim como 2014 definiu 2016 e 201

Multidão recebe Simone Santana e André de Paula em Jaqueira
Movimentação de Raul Henry desafia liderança de Paulo Câmara
Palmares – Souza Filho próximo de escolher o seu destino partidário

É natural o resultado de uma eleição catapultar o nome de determinados candidatos para as eleições posteriores. Assim como 2014 definiu 2016 e 2016 definiu 2018, 2018 definirá 2020. A prefeitura do Recife é o troféu maior, cobiçado por muitos campeões de voto, mas qualquer um dos grandes nomes forjados tem seus planos próprios que passam ou não pela conquista de prefeituras importantes no estado de Pernambuco. 

André de Paula, já veterano na Câmara Federal, caminha para se eleger novamente com expressiva votação, além de manejar um fortíssimo PSD, mais poderoso que em 2014. João Campos tem tudo para ser o mais votado e começar a construir seu nome sozinho na política nacional. Eduardo da Fonte comandará um partido com mais de dez deputados estaduais e possivelmente com 3 ou 4 federais – um poder de fogo imenso para um homem só. Augusto Coutinho fez o dever de casa e propagou o SD até os confins de Pernambuco, permitindo que sua legenda fosse cada vez mais representativa. Mendonça Filho e Anderson Ferreira estão buscando ocupar cadeiras em todos os níveis políticos possíveis, a fim de conseguir maior espólio. Ricardo Teobaldo, por sua vez, perdeu o controle político da prefeitura de Limoeiro mas não perdeu a base e segue expandindo sua influência em cidades estratégicas como Ipojuca e Paudalho. 

Do lado das surpresas, estão Marília Arraes, Davi Muniz e Odacy Amorim. Marília vem forte para 2020 no Recife, Davi Muniz se tornará uma das principais lideranças da RMR e Odacy pode se dar bem em Petrolina levantando a bandeira do lulismo. Todos estes tendem a sair fortalecidos do pleito deste ano e, dependendo de como se conduzirem depois, podem ocupar o vácuo deixado por nomes que se aposentarem das urnas, como Jarbas Vasconcelos.

Refazer as contas – Apesar de chapinhas que não atingirem o coeficiente poderem disputar as sobras neste ano, apenas as que chegarem bem perto vão realmente ter acesso a mais cadeiras. É bom que muitos articuladores refaçam suas contas porque vai ter chapa naufragando.

Espaço Municipal para a calda – A disseminação de chapinhas precisou de que muitos ex-candidatos a vereador ou vereadores eleitos em cidades pequenas fossem para o pleito deste ano. Como a eleição estadual tende a render mais votos que a municipal, alguns prefeitos devem ter de abrir espaço para os donos de votações partidas mas representativas em seus respectivos colégios

Trator – O candidato a deputado estadual Júnior de Cleto está com um verdadeiro batalhão pelas ruas do Recife. Pelo seu ritmo grande e a campanha agressiva na conquista do voto, muita gente o tem chamado de Trator de Cleto

Marcelo Velez, estudante de engenharia na UFPE e militante político jovem em Camaragibe.

*Amanhã tem mais uma coluna Radar Político, com Wellington Ribeiro

COMMENTS