Prefeito Sávio Torres exalta Tuparetama em data de emancipação política

Confira clicando no link

Prefeitura de Barreiros anuncia programação dos 157 anos da cidade
Santa Cruz do Capibaribe comemora 66 anos de emancipação política com solenidade, inaugurações, entrega de veículos e shows artísticos
Limoeiro comemora 208 anos de emancipação política


A cidade “Princesinha do Pajeú” comemora neste dia 11 de abril seus 58 anos de emancipação política. Tuparetama que na língua Tupi significa “Terra de Tupã” ou “Terra de Deus”, banhada pelas águas do “Rio Feiticeiro”, tem no dia de hoje a sua data magna, o dia em que a pequena vila alçou a condição de cidade quando foi instituída a primeira formação dos poderes executivo e legislativo.

Como a maioria das cidades sertanejas, Tuparetama nasce sob o braço empreendedor de uma pequena feira livre, aonde a mão do homem sertanejo –“antes de tudo, um forte”- conduzia a milenar arte do comércio de venda e troca de mercadorias. Era o ano de 1899 e desde então, as terras cederam lugar ao progresso e o desenvolvimento do lugar.

A fé, condição inerente a vida humana, é vivenciada e sentida na figura divina do Bom Jesus que no ano de 1910, além de ganhar um templo, empresta seu nome a pequena povoação.

Na cronologia do tempo, em 1938, foi elevada a categoria de vila e seguindo os costumes da época, teve a denominação alterada para Tupã, uma alusão a entidade divina dos índios tupis. Em 1943, o nome ganhou nova alteração e passou a se chamar Tuparetama ou “terra de Deus”.

A luta e a persistência dos seus benfeitores fizeram acontecer a tão sonhada emancipação política, desmembrando o território do município de Tabira no apagar das luzes de 1958, mais precisamente no dia 31 de dezembro. Durante as primeiras eleições municipais, Severino Souto de Siqueira foi eleito o 1º prefeito, mas o primeiro grito de liberdade de nossa terra, nasceu pela força de Odon , Abílio Leite e Pedro Tunu, três jovens idealistas que acreditaram na força no município que brotava e teve como primeiro prefeito nomeado, meu pai, João Tunu da Costa, que nos ensinou a amar e cuidar dessa terra desde sempre, fosse na iniciativa privada, fosse no serviço público.

O tempo passa, mas a história permanece viva para fazer jus aos vultos de homens e mulheres que lutaram e ainda hoje lutam por uma cidade cada vez mais próspera.

Tuparetama, levada às alturas pela famosa Companhia Pernas de Pau, ficou conhecida no Brasil e no mundo. A poesia popular difundida por poetas e repentistas, figuras imortais da poesia nordestina, confere a Tuparetama uma áurea mítica, diante da vasta produção poética da palavra rimada e ressoada ao som das violas.

Na tríplice divisa do Pajeú, Cariri e Moxotó, a Princesinha do Pajeú é um farol iluminado pela chama do Progresso e do Trabalho, mesmo em tempos difíceis, como este, Tuparetama mantem acessa a chama da fé, do amor e da esperança.

Viva Tuparetama dentro de cada um de nós!

Sávio Torres – Prefeito de Tuparetama

COMMENTS