Prefeitura de São Lourenço da Mata reflorestará antigo lixão da cidade

Saiba mais informações clicando no link

Prefeitos Lula Cabral e Bruno Pereira se unem para enfrentar Governo do Estado
Bruno Pereira conclui 2018 com saldo positivo em São Lourenço da Mata
Prefeito Bruno Pereira inaugura leitos de retaguarda no Hospital Municipal Petronila Campos


Desativado em 2018, o antigo lixão de São Lourenço da Mata, localizado no Bairro de Chã da Tábua, terá sua área reflorestada com plantas endêmicas da Mata Atlântica; além de recuperação de solo e drenagem. No local, que por quase 50 anos abrigou os resíduos sólidos produzidos pelo município, teve o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), autorizado, hoje (15), pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH). O plano visa fortalecer a formação dos corredores ecológicos da cidade; além de incentivar o reflorestamento com espécies florestais nativas e recuperar as áreas degradadas pelo antigo lixão.

De acordo com o prefeito Bruno Pereira, o plano será coordenado pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e pela Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Meio Ambiente e Agricultura (Adesma). “A sustentabilidade e preservação do meio ambiente é um dos compromissos de nossa gestão. Iniciamos o processo do plano em 2019, e agora, com a autorização do CPRH, vamos iniciar os trabalhos com restauração da área alterada e degradada, arborização urbana, instalação do plantio, sementeira, central de triagem, e resíduos sólidos, que vão ser triturados e vendidos como areia reciclada ou na fabricação de tijolos para construção de casas populares”, pontuou Bruno.

Para o secretário de Infraestrutura da cidade, Sérgio Machado, com o plano será possível realizar a correção ambiental da área, com paisagismo e outras ações necessárias, que evitarão problemas como: proliferação de vetores de doenças, poluição do solo e das águas superficiais e subterrâneas, que podem afetar a saúde pública. “Vamos fazer o plantio de árvores de grande porte como: eucalipto, mangueira e espécies nativas. Tudo, para promover uma contenção, e assim, melhorar o ambiente. Após a autorização do CPRH, que já reconhece o local como ambientalmente correto, por não ser depositado mais materiais orgânicos, materiais esses que encaminhamos para o CPRH de Candeias, já iniciamos o projeto”, pontuou o secretário.

COMMENTS