Presidente ACS-PE parabeniza Governo Federal por extensão das escolas Cívico-Militares em Pernambuco

Albérisson Carlos falou sobre a importância da ampliação do modelo escolar e de como as escolas Cívico-Militares podem contribuir para a preparação dos alunos para o Enem e as Universidades.

Albérisson Carlos esclarece sobre os descontos dos Militares reformados e pensionistas
Reunião com Bolsonaro têm bons resultados e PMs em Pernambuco poderão comprar sua casa própria com juros mais baixos
Presidente da ACS-PE, Albérisson Carlos, repudia Lula por alegar que militares da ativa não assumam cargos comissionados no governo

Albérisson Carlos falou sobre a importância da ampliação do modelo escolar e de como as escolas Cívico-Militares podem contribuir para a preparação dos alunos para o Enem e as Universidades. – Foto: Beto Dantas

O anúncio do Governo Federal, através do Ministério da Educação (MEC), com a lista dos estados e municípios contemplados pelo Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), para o ano de 2022, deixou o presidente da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Albérisson Carlos, satisfeito com a iniciativa.

Albérisson Carlos falou sobre a importância da ampliação do modelo escolar para o crescimento pessoal e profissional dos alunos e de como as escolas Cívico-Militares podem contribuir para a preparação dos alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e os vestibulares.

“As escolas Cívico-Militares demonstram para população resultados positivos, em todos os aspectos, na formação de caráter dos alunos, bem como, o encaminhamento para vida, colocando os alunos com muita preparação para enfrentar o ENEM e as universidades”, explicou.

O presidente da ACS-PE também criticou o atual modelo que, em muitos casos, “estão dominados pelo crime, pelo tráfico, de alunos que não respeitam mais os professores e pela indisciplina como os funcionários e com todos que estão tentando fazer uma escola melhor”.

Em visita ao Estado de Goiás no ano passado, Albérisson afirmou que pode observar os resultados do modelo.

“Eu pude ver de perto os resultados da escola Cívico-Militar com o envolvimento da Polícia Militar na administração de várias escolas. É o modelo que o Brasil precisa hoje seguir”, concluiu.

Para Albérisson, a escola Cívico-Militar é um dos poucos modelos que dar certo no Brasil e sua aplicação pode dar mais alternativas para as famílias que também o consideram o modelo mais adequado. Porém dando a oportunidade de ter outros métodos para escolha da população.

Escola Cívico-Militar

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma parceria entre o MEC e o Ministério da Defesa, direcionado para escolas com baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e com alunos em situação de vulnerabilidade social. O Pecim está presente em 25 estados e no Distrito Federal, atendendo aproximadamente 85 mil alunos.

As cidades pernambucanas que receberão as vagas do projeto serão: Bezerros, Petrolina, Jaboatão dos Guararapes e Altinho.

COMMENTS