Programa Opera + garante 50 mil cirurgias eletivas no Estado

Paulo Câmara detalhou a iniciativa, que conta com um aporte de R$ 81,5 milhões para agilizar e ampliar os procedimentos até o final de 2022

Governo de Pernambuco autoriza início do processo de retorno das aulas presenciais
Secretário de Saúde e chefe de gabinete do governador testam positivo para Covid-19
Governo de Pernambuco anuncia liberação de mototáxi e lutas marciais e prorroga suspensão das aulas

Paulo Câmara detalhou a iniciativa, que conta com um aporte de R$ 81,5 milhões para agilizar e ampliar os procedimentos até o final de 2022

O governador Paulo Câmara apresentou, nesta segunda-feira (18.10), em solenidade no Palácio do Campo das Princesas, os detalhes do Programa de Ampliação de Cirurgias Eletivas em Pernambuco, o Opera +. A iniciativa visa ampliar, até dezembro de 2022, o número de procedimentos eletivos na rede estadual, garantindo 50 mil cirurgias, além de agilizar as intervenções adiadas por conta do período pandêmico. Com um aporte de R$ 81,5 milhões, o programa vai diminuir o tempo de espera para realização dos procedimentos e, consequentemente, evitar complicações secundárias à evolução das doenças.

No primeiro momento, o objetivo é realizar os procedimentos adiados, seguindo com os demais pacientes que estão aguardando algum tipo de cirurgia eletiva. “Vamos dar todas as informações necessárias à população, para que todos possam se cadastrar no site e no aplicativo que vamos lançar. Queremos realmente tirar o atraso desse período, porque sabemos a importância de retomar isso e de cuidar dessas pessoas. É uma iniciativa que está presente em todo o Estado e a divulgação desse programa é muito importante, assim como a parceria com os municípios”, afirmou Paulo Câmara.

No último final de semana, algumas unidades já tiveram programação cirúrgica. Além das intervenções nos serviços próprios e já conveniados ao Estado, também será lançado um edital de credenciamento para a rede conveniada que deseje se juntar a esse esforço. Atualmente, segundo o secretário de Saúde, André Longo, estão cadastrados 18.500 pacientes na fila para procedimentos em diversas unidades estaduais.

“Essas pessoas já estão sendo chamadas pelo cadastro existente, mas também estamos desenvolvendo um aplicativo, que estará no ar até o fim do mês, para que as pessoas possam atualizar informações, e em um segundo momento possam alimentar o sistema com alguma informação importante. A ideia é facilitar o caminho dessas pessoas para os exames pré-operatórios, para que a cirurgia possa ser realizada na data que está marcada”, detalhou André Longo.

COMMENTS