Projeto de Lei de Guilherme Uchôa Júnior garante direitos a alunos com Transtorno de Déficit de Atenção

Saiba mais informações clicando no link

MPCO quer inconstitucionalidade de emenda da Alepe que permite contratação sem licitação de advogados
Romero Albuquerque defende Clarissa Tércio de acusações do PSOL
Alessandra Vieira – Primeira mulher deputada estadual eleita em Santa Cruz do Capibaribe

A proposta é de autoria do deputado Guilherme Uchoa Júnior e foi apresentada à Assembleia Legislativa de Pernambuco(Alepe) na última semana de maio.

Caso seja aprovado na Casa de Joaquim Nabuco, o Projeto de Lei vai obrigar as escolas da rede de ensino público e privada a disponibilizar em suas salas de aula assentos na primeira fila para alunos com Transtorno de Déficit de Atenção(TDA), Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade(TDAH) e dislexia.

Para tanto, os pais ou responsáveis deverão apresentar às escolas laudo médico atestado por especialistas na área de psiquiatra ou neurologia.

A Associação Brasileira da Déficit de Atenção(ABDA) define as doenças como transtornos neurobiológicos, de causas genéticas, que aparecem na infância e frequentemente acompanham o indivíduo por toda a vida.

De acordo com a ABDA, caracterizam-se por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Trata-se de um quadro psicopatológico complexo que afeta todo o desenvolvimento psicoemocional, cognitivo e social.

Para o parlamentar, sentar o aluno com esse tipo de transtorno distante da porta ou da janela da sala de aula, bem como orientando a família sobre como lidar com a situação, faz toda a diferença. “Quanto mais perto do professor, melhor ainda”, argumenta Uchoa.

Estudos realizados por profissionais de educação mostram que alunos com esse perfil apresentam desempenho inferior ao esperado para a sua faixa de escolaridade.

COMMENTS