RADAR POLÍTICO (14/01) – Marília volta a provocar Humberto Costa e companhia

Saiba mais informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

Ipem-PE apreende balanças falsificadas em Araripina e Ipubi
Operação ‘Volta às Aulas’ do Ipem-PE apreende produtos irregulares
Ipem-PE realiza“Operação Cesta Básica”


Derrotada na eleição pelo comando da prefeitura do Recife, Marília Arraes, que seria o nome natural do PT para a disputa pelo Governo do Estado em 2022, dá sinais de que o seu objetivo principal é a renovação do mandato. Quando ensaiou concorrer ao Palácio do Campo das Princesas em 2018, e foi abruptamente impedida pela Executiva Nacional do PT, Marília era detentora de um mandato na Câmara de Vereadores do Recife. Por sua vez, quando disputou o comando da capital no ano passado a petista estava amparada pelo mandato de deputada federal. Para 2022 ela não quer correr o risco de ficar no sol e sereno e vai optar pela reeleição.

Já decidida do seu futuro, Marília parece está decidida em fazer da vida do senador Humberto Costa e companhia, um inferno. E já começou. Ontem, em entrevista à uma rádio local de Caruaru, a petista acenou para Raquel Lyra em uma eventual disputa para o Governo do Estado. “Pode ser que Caruaru tenha uma Governadora em 2022. Vamos ver o que acontece”. A fala de Marília chega em um momento onde o PT de Humberto está definindo se permanece aliado do PSB mesmo perdendo a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agrário ou desembarca do Governo e traça um caminho de construção de uma candidatura majoritária em 2022.

O aceno de Marília à Raquel Lyra fragiliza ainda mais o Partido dos Trabalhadores em Pernambuco. Vale destacar que atitude de Marília não é de todo condenável. Ao que parece, ela aprendeu com o próprio Humberto Costa quando o assunto é a atrapalhar a vida dos “companheiros” e pensar no próprio umbigo.

REINCIDENTE – Esta não é a primeira vez que Marília Arraes acena para possíveis candidatos a governador. Recentemente a petista presenteou o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), com um WAR, jogo de tabuleiro de guerra e estratégia.

ALTERNATIVAHumberto Costa já teria sido avisado de que a Secretaria de Desenvolvimento Agrário ficará sob o comando do PP de Eduardo da Fonte. Ao PT o Palácio teria oferecido a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, pasta hoje comandada por Sileno Guedes. Diferente da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, que tem uma estrutura e alcance invejável, a SDSCJ possui um tamanho bem inferior.

GÊMEO – A ida do deputado Claudiano Martins Filho para o comando do Desenvolvimento Agrário, vai implicar que o seu irmão gêmeo Adriano Martins deixe o comando do Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (IPEM) para não configurar nepotismo, já que este posto é de 2º escalão. No IPEM Adriano estava realizando um trabalho bastante elogiado, sobretudo no que se refere ao aumento das fiscalizações de instrumentos, produtos e serviços.

COBRANÇA – Conhecido por sua disposição em pegar briga em defesa dos consumidores, o deputado federal Eduardo da Fonte solicitou ao presidente da República, Jair Bolsonaro, que intervenha na decisão do Banco do Brasil em fechar agências nos municípios do interior. “O Banco do Brasil tem importante função social e econômica. É através da implantação de uma agência do banco que o desenvolvimento chega em muitos municípios pequenos. O fechamento dessas agências é um desfavor ao povo brasileiro” afirma Eduardo da Fonte.

Escrito por Wellington Ribeiro – E-mail: [email protected] – Telefone: (81) 99521-6544

COMMENTS