RADAR POLÍTICO (22/07) – Ida de Bolsonaro para o PP alteraria cenário político em Pernambuco

Saiba esta e outras informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

Em Riacho das Almas, Alberes e Sônia Mendes comprovam força em carreata
Projeto que transforma Serra dos Cavalos em patrimônio turístico é aprovado na Comissão de Justiça
Caruaru – Delegado Erick Lessa dá pontapé em pré-campanha em grande ato de filiação


ESCRITO POR WELLINGTON RIBEIRO
Embora ainda não tenha definido o seu futuro partidário, o presidente Jair Bolsonaro, que recentemente ensaiou o ingresso no Patriota mas recuou, estaria próximo de dar um desfecho nesta novela que se arrasta desde novembro de 2019, quando deixou o PSL. Em recente declaração, o senador Flávio Bolsonaro afirmou que ao menos três siglas estariam no radar do seu pai. São elas: O Republicanos, PL e PP. “
Não seria o que queríamos inicialmente, que era o presidente ter um partido para chamar de seu. Mas, por outro lado, tem a vantagem de já estar em um partido maior, com mais tempo de televisão e fundo partidário, para disputar a eleição. A decisão está com o presidente.”, expôs Flávio em entrevista ao Globo.

Com a decisão do presidente em chamar o senador e presidente nacional do PP, Ciro Nogueira, para comandar a Casa Civil, pasta responsável pela articulação política do Governo, cresce nas bolsas de apostas a possibilidade de Bolsonaro retornar para o Progressistas, sigla onde se elegeu por diversas vezes deputado federal. Caso isto ocorra, o movimento teria potencial de interferir sobremaneira no cenário político Pernambucano.

Com Bolsonaro no PP o partido, aqui no estado sob o comando do deputado Eduardo da Fonte, indubitavelmente desembarcaria da Frente Popular com destino à oposição para reforçar o palanque do presidente neste importante colégio eleitoral do Nordeste. Se para o PSB isto resultaria na perda de uma sigla com expressivo tempo de televisão, para a oposição seria um reforço em tanto para o candidato a governador do grupo.

Mudanças também na permanência de quadros e ingressos de outras lideranças no PP também seriam resultados deste processo. Se por um lado alguns deputados estaduais hoje filiados à sigla poderiam optar por ingressar em partidos ligados à Esquerda por temor da força de Lula no interior do estado e por sintonia ao PSB, o PP seria como um imã na atração de lideranças ligadas ao Bolsonarismo. O que isto representará em ganho ou perda de espaço na Câmara Federal e ALEPE para o PP ainda é muito cedo para dizer. No entanto, o que se pode afirmar é que tal cenário seria um reforço em tanto para a Oposição que hoje se resume a pouco mais de meia dúzia de partidos.

MOTIVO – A indicação de Ciro Nogueira para a Casa Civil, não pode ser vista apenas como um indicativo de uma possível filiação de Bolsonaro ao PP. Conhecido por ser um exímio articulador, Ciro, que é identificado como o líder do Centrão, ajudará no estreitamento do diálogo do Governo com o Congresso. Vale destacar também que o presidente nacional do PP assumiu o papel de Leão de Chácara de Bolsonaro na CPI da COVID defendendo o Governo com “a faca nos dentes”.

CHIADEIRA – Não demorou muito para que algumas figuras do PSB (deputados federais com a reeleição ameaçada) expusessem nas coxias a insatisfação com a candidatura de Clodoaldo Magalhães à Câmara Federal. O problema estaria ligado ao fato de Clodoaldo está avançando em municípios da Zona da Mata e Agreste com a adesão de apoios importantes ao seu projeto.

CERTIDÃO – Nascido em Palmares, Clodoaldo possui forte ligação política com a Mata Sul, região onde o seu pai Eudo Magalhães já governou os municípios de Água Preta, Joaquim Nabuco e Xexéu, e o seu tio Enó já comandou Palmares. Já Noé Magalhães, seu irmão, atualmente é prefeito de Água Preta.

DOMICÍLIO ELEITORAL – No Agreste, por sua vez, Magalhães possui forte relação com o município de Bonito, onde já é votado e majoritário há quatro eleições. Por lá a sua amizade com o ex-prefeito Dr. Rui e o prefeito Gustavo é estreitíssima. Além disso Clodoaldo é eleitor do município.

START – O ex-prefeito de Sirinhaém, Franz Hacker, fez a sua primeira movimentação pública rumo à disputa por uma vaga na ALEPE. Ontem ele esteve em Barreiros em encontro com a empresária Paula Veríssimo. O movimento alimentou rumores de que a empresária possa ser uma das lideranças do município a aderir ao projeto de Franz. Em 2020 Paula ficou em 3º lugar na disputa pela prefeitura com quase 3 mil votos.

CONCORRENTE DIRETO -No Litoral Sul Franz deve disputar votos com Eriberto em três municípios. São eles: Barreiros, Sirinhaém e São José da Coroa Grande. Nos três Eriberto conta com o apoio dos prefeitos Carlinhos da Pedreira, Camila Machado e Pel Lages, respectivamente.

ALGUÉM RESPONDE ?Em quem o prefeito de Triunfo, Luciano Bonfim (Avante), irá votar para deputado estadual? Ao menos um deputado de mandato e dois pré-candidatos têm em conta o apoio de Bonfim.

Wellington Ribeiro é pós-graduado em Gestão Pública e Legislativa pela UPE

COMMENTS