RADAR POLÍTICO (23/04) – Divisão da oposição favorece ao PSB

Saiba esta e outras informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

RADAR POLÍTICO (27/07) – A força de Chaparral no Agreste Setentrional
Vice-presidente da Alepe participa de reunião com Paulo Câmara sobre aumento dos casos de Covid em PE
Aglailson Victor marca presença na inauguração de hospital de campanha de Passira

Escrito por Wellington Ribeiro

Na hipótese de manter três candidaturas ao Governo do Estado, o grupo de oposição amplia de forma significativa não apenas as chances de ser derrotado pelo PSB na disputa majoritária, mas também de sacrificar candidatos proporcionais.

Embora haja entre os caciques dos partidos que compõem este grupo os que defendam o lançamento de múltiplas candidaturas com o objetivo de forçar um segundo turno, os mesmos esquecem de fazer a equação sobre a formação de chapas para deputado federal e estadual que garantam condições não apenas de disputa para os postulantes estreantes, mas, sobretudo, para os que buscam pela renovação de mandatos. Se com a antiga legislação eleitoral, que permitia a coligação entre partidos na proporcional a oposição já encontrava dificuldades para montar chapa, com a atual legislação eleitoral, que proíbe coligação na proporcional, a energia necessária para a formação de chapas proporcionas será ainda maior. Em um cenário de múltiplas candidaturas a governador no campo oposicionista, a disputa por candidatos a deputado estadual e federal levaria o grupo inevitavelmente a uma guerra fraticida, gerando sequelas inimagináveis.

Com três candidaturas ao Governo, Miguel Coelho, Anderson Ferreira e Raquel Lyra, teriam também imensas dificuldades de montar a própria chapa majoritária, que além da vaga de governador, conta ainda com a de vice-governador e senador. Ao grupo, cabe lá na frente ver entre os três qual o mais competitivo para encabeçar a chapa e torcer para que surjam candidatos fora do campo para ajudar a levar a disputa ao 2º turno.

RIVALIDADE – Pré-candidatos a deputado estadual, o ex-prefeito de Orobó, Cléber Chaparral (DEM), e o secretário Executivo de Articulação Institucional da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Farias (PSB), devem protagonizar uma disputa bastante acirrada por votos em alguns munícipios do Agreste Setentrional, região com a qual possuem forte ligação. Ambos apresentam competitividade de sobra para conquistar uma vaga na Assembleia Legislativa na próxima eleição.

VITÓRIA DA FÉ – O Projeto de Lei 1094/2020, que torna as Igrejas essenciais em todo Pernambuco, foi aprovado em primeira e segunda votação, ontem (22/04), na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Autor do Projeto, o deputado Pastor Cleiton Collins se destacou por sua capacidade de diálogo e articulação junto aos deputados ao longo do processo de tramitação nas Comissões e Plenário. Agora a matéria segue para sanção do governador Paulo Câmara.

VAI ENCARAR? – O ex-prefeito do município de Bom Conselho, Danilo Godoy, tem sido lembrado como potencial candidato a deputado estadual nas eleições de 2022. Caso enfrente o desafio, Godoy tem grandes chances de obter uma expressiva votação no Agreste Meridional.

LITORAL SUL – Aliados do prefeito Pel Lages, os deputados Daniel Coelho (Federal) e Eriberto Medeiros (Estadual) estarão em São José da Coroa Grande neste sábado (24) para participarem da inauguração da pavimentação de ruas e entrega de carros, motos e trator.

COM QUEM SERÁ? – A deputada estadual Simone Santana (PSB) anda sem deputado federal para dobrar em Ipojuca, o seu principal colégio eleitoral. Em 2018, ela e o seu esposo, o ex-prefeito Carlos Santana, transferiram para João Campos mais de 10 mil votos no município. Em 2022 com quem a deputada dobrará por lá?

COM QUEM SERÁ 2? – Por falar em espaço aberto, outro deputado estadual que também ainda não fechou questão sobre quem apoiará para federal em sua principal base é Aglailson Victor (PSB). Em 2018 ele dobrou com João Campos em Vitória de Santo Antão. No município Campos arrastou 13 mil votos.

Wellington Ribeiro é pós-graduado em Gestão Pública e Legislativa pela UPE

COMMENTS