Radar Político (29/06) – O vice de Paulo Câmara deve sair do interior

Radar Político (29/06) – O vice de Paulo Câmara deve sair do interior

História recente mostra que campanhas vitoriosas tiveram nomes do interior na chapa

Radar Político (26/07) – O fenômeno Marília e o seu grande desafio
Radar Político (14/05) – Apresentadores de TV são cotados para disputar eleições de 2020
RADAR POLÍTICO (31/03) – Os desafios de Miguel Coelho para 2022

Com uma das vagas do Senado já definida para Jarbas Vasconcelos e a outra reservada para Humberto Costa, caso o PT decida por uma aliança com o PSB, resta apenas a vaga de vice-governador a ser preenchida na Frente Popular. Os nomes mais cotados para ocupar o posto são os de Sebastião Oliveira (PR), Cleiton Collins (PP), Luciana Santos (PC do B), Maurício Rands (PROS) e Zé Queiroz (PDT).

Embora apareçam com frequência na bolsa de apostas, os nomes de Sebastião e Cleiton Collins surgem mais por conta de um desejo das bancadas de deputados, que propriamente deles próprios. Deslocar Sebastião para a vice é vista por alguns deputados federais com a reeleição em risco uma forma de resolver as suas vidas, seja com a conquista de parte do espólio eleitoral de Sebastião ou até mesmo pelo simples fato de tirar da jogada um candidato que tem uma reeleição dada como certa.

Por sua vez, o nome de Cleiton Collins é defendido principalmente por deputados estaduais do PSB, que veem neste movimento uma maneira de fragilizar a chapinha do PP com a saída de seu grande puxador de votos. No entanto, erram ao não considerar a possibilidade de Michelle Collins substituí-lo na disputa por uma cadeira na ALEPE, o que pode garantir a permanência de um puxador de votos na chapinha do PP, uma vez que a vereadora recifense não pode ser subestimada em seu potencial eleitoral.

Quanto a Luciana Santos, a sua ida para a vice não é defendida por nenhum outro partido que não seja o PC do B. Com uma reeleição arriscadíssima, a comunista não teria nada a arriscar sendo companheira de chapa de Paulo. Já em relação a Maurício Rands, a sua indicação para a vice não teria outro objetivo senão o de garantir a Paulo um vice de estrita confiança do PSB. No entanto de nada serviria a sua indicação sem uma vitória da chapa. Pesa contra ele o fato de ser o que menos agrega do ponto de vista eleitoral.

Por fim, o nome de Zé Queiroz, embora também seja incluído como opção para o Senado em caso de fracasso na aliança entre o PSB e PT, apresenta uma combinação bastante atraente à chapa pelo fato de ser do Agreste, um simbolismo interessante que não pode ser desprezado.

Com exceção da eleição de 2014, na história recente da política pernambucana os candidatos vitoriosos ao Governo do Estado sempre tiveram como companheiros de chapa algum nome que representasse o Agreste ou Sertão. Assim foi com Joaquim Francisco com o caruaruense Roberto Fontes em 1990, Miguel Arraes com o também caruaruense Jorge Gomes em 1994, Jarbas com Mendonça Filho, que representava Belo Jardim, em 1998 e 2002, e Eduardo Campos com o caruaruense João Lyra Neto em 2006 e 2010.

Se depender da história a probabilidade de Paulo Câmara ter um candidato a vice que carregue o simbolismo do interior é grande. Neste caso o nome de Zé Queiroz desponta como favorito.

Mau exemplo – Como auditor concursado do Tribunal de Contas de Pernambuco o governador Paulo Câmara deu um mau exemplo ao nomear Edberto Quental, ex-prefeito de Condado e campeão de contas rejeitadas no TCE, como assessor da Casa Civil. No total Quental acumula nada menos que oito contas rejeitas pelo principal órgão de controle do estado, o que representa o total de anos que permaneceu a frente do comando do município (2005 a 2012).

Arcoverde – O deputado federal João Fernando Coutinho (PROS) esteve ontem no município de Arcoverde, para, ao lado da prefeita Madalena Britto, sua aliada, realizar a entrega de uma Unidade Básica de Saúde da Família que foi equipada com recursos de emendas de sua autoria.

Pé na estrada – A pré-candidata a governadora pelo PT, Marília Arraes, desembarca nesta sexta-feira no Agreste Meridional. A petista cumprirá agendas em Bom Conselho e Garanhuns. Na cidade das Flores Marília participa de Congresso para debater a conjuntura política pós-golpe ao lado do ex-deputado federal Fernando Ferro.

Batendo forte – Embora pertencente ao PP, partido aliado do PSB, o pré-candidato a deputado estadual Ni do Badoque não tem economizado nas críticas ao governador Paulo Câmara, a quem tem feito questão de incluir o sobrenome “Lenta”. Em vídeos que estão viralizando nas redes sociais o Youtuber tem entrevistado pacientes que esperam há meses por cirurgias ou atendimento com especialistas na rede pública estadual de saúde.

Reforço – O deputado estadual Júlio Cavalcanti (PTB) tem tudo para ampliar a sua votação no Recife, que em 2014 chegou a pouco mais de 1.100 votos. Agora, com o apoio do vereador Rinaldo Júnior (PRB), a expectativa é que o petebista no mínimo triplique a votação na capital.

Anúncio – O prefeito de Catende, Josibias Cavalcanti (PSD) prepara para o mês de julho um grande ato político para apresentar os seus candidatos. Para estadual o pessedista apoiará Terezinha Nunes (PSDB), já o seu federal será André de Paula (PSD). Para governador caminhará com Paulo Câmara. Quanto ao Senado, há a expectativa de que um de seus candidatos seja Mendonça Filho (DEM), político que quando esteve à frente do MEC destinou R$ 9 milhões para a construção de duas novas escolas e reforma de outras duas e uma creche no município.

Escrito por Wellington Ribeiro – E-mail: [email protected]

COMMENTS