Respondendo a ministro, deputado reforça luta por educação inclusiva em Pernambuco

Saiba mais informações clicando no link

Danilo Cabral defende 
manutenção de gratuidade do ensino superior
Prefeito Marcello Maranhão sanciona Lei que garante absorventes para estudantes da rede pública municipal de Ribeirão
Emenda preserva recursos do salário-educação na MP 905

Deputado estadual Professor Paulo Dutra – Foto/ALEPE

O deputado estadual Professor Paulo Dutra (PSB) protocolou na Assembleia Legislativa de Pernambuco um projeto de lei com o objetivo de criar o Dia Estadual de Luta pela Educação Inclusiva. De acordo com o parlamentar, que é vice-presidente da Comissão de Educação e Cultura da Alepe, o PL é uma resposta às recentes declarações polêmicas do Ministro da Educação, Milton Ribeiro, sobre a educação de crianças com deficiência.

No último dia 9 de agosto, em entrevista ao programa Sem Censura, da TV Brasil, o ministro disse que a inclusão de alunos com deficiência “atrapalham” o aprendizado de outras crianças sem a mesma condição. Dez dias depois, em passagem pelo Recife, o nome escolhido por Bolsonaro para comandar o MEC afirmou que há crianças com “um grau de deficiência que é impossível a convivência”. Já na segunda-feira, dia 23, em entrevista à rádio Jovem Pan, Milton Ribeiro deixou clara a intenção de criar salas especiais para separar as crianças com deficiência. “Não queremos o inclusivismo, criticam essa minha terminologia, mas é essa mesmo que eu continuo a usar“, disparou.

De acordo com o deputado Professor Paulo Dutra, o PL do Dia de Luta pela Educação Inclusiva é, além de uma resposta ao Ministro, uma reafirmação dos avanços conquistados por meio da Educação Inclusiva. “É muito importante entendermos que a legislação sobre a educação especial, sobre a educação inclusiva é muito recente. A LDB é de 1996 e o Estatuto da Pessoa com Deficiência é de 2015. Esses dois mecanismos garantem o direito à educação às pessoas com deficiência e norteiam a inclusão, a convivência e a integração social dos estudantes. O Ministro foi muito infeliz nas suas colocações e está sendo muito infeliz na sua militância contra esta educação inclusiva”, disse o parlamentar. “Nosso projeto de lei pretende criar, portanto, um dia em que escolas e sociedade civil possam se unir na luta para que a educação seja cada vez mais inclusiva e não excludente, como quer Milton Ribeiro”, concluiu.

De acordo com o texto do projeto protocolado, a data de 24 de agosto foi escolhida por ser também o dia da infância e por estar inserida na Semana Estadual da Pessoa com Deficiência. A proposta é que as escolas públicas de Pernambuco realizem ações culturais ou pedagógicas que promovam a educação inclusiva e a vivência entre estudantes com ou sem deficiência.

COMMENTS