Romero se defende de acusações do Conselho Regional de Medicina Veterinária

Saiba mais informações clicando no link

Andreza Romero critica manobra de Ivan Moraes
Andreza Romero fala da importância de mulheres na política
Deputado cria campanha “Alimente um anjo das ruas” para ajudar animais abandonados


Nesta sexta-feira, o deputado Romero Albuquerque usou suas redes sociais para protestar contra acusações feitas pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária. Mais cedo, o CRMV publicou uma nota em que acusou o deputado estadual de oferecer serviços veterinários online – o que é proibido pelo Código de Ética do Médico-Veterinário.

Entenda o caso: Na quinta-feira, o perfil “Veterinário Sincero” fez a denúncia de que Romero e sua esposa, Andreza, estariam oferecendo atendimento veterinário online e pressionou o Conselho a se posicionar. Acuado, o CRMV protocolou denúncia no Ministério Público Estadual e no Federal contra o deputado, publicou nota oficial em seu perfil no Instagram e ainda acrescentou que Romero havia faltado reunião marcada para debater o assunto.

Diante do ocorrido, Romero usou seu perfil para desmentir a nota oficial do Conselho e da página que publicou a denúncia originalmente. “Não existe atendimento online, não somos esse tipo de gente irresponsável. Existe, sim, marcação de consultas gratuitas, com profissionais qualificados parceiros do Central Animal. Entendo a pressa em derrubar um serviço que prejudica os interesses deles, mas se tivessem experimentado a ferramenta essa tese teria sido derrubada. Eles inventaram essa teoria, e estão me difamando”, explicou o parlamentar.

Romero ainda explicou que ele mesmo solicitou a reunião com o Conselho Regional de Medicina Veterinária, e não o contrário, como foi publicado pela entidade. “O que temos aqui é um caso claro de perseguição. O Conselho de Medicina Veterinária nunca viu com bons olhos a oferta de serviços gratuitos, independente de quem esteja promovendo. Respeito cada profissional, mas eles não são bem representados. Nunca recebi apoio do CRMV, pois eles simplesmente não admitem que há pessoas que não têm condições de pagar um procedimento caro. O trabalhador é digno do salário, mas o animal de um tutor de baixa-renda não pode sobrar nessa conta matemática”, disparou Romero.

“Há mercenários em todos os lugares, e há também os bons profissionais. O joio e o trigo. O que é que temos que fazer? Separar um do outro. Trabalho, conheço e indico excelentes veterinários, no Hospital Veterinário do Recife e em diversas clínicas. Peço que os veterinários e os futuros veterinários não compactuem com estes que desvalorizam sua profissão, pensando somente em si. Estamos falando de vidas, humanas e animais. Todos merecem, e todos terão acesso legal a estes serviços, e isto é e sempre será feito presencialmente”, concluiu.

 

Confira a nota do deputado estadual:

 

Diante das falsas acusações compartilhadas por um perfil de rede social e em respeito aos pernambucanos e, principalmente, à Causa Animal, venho por meio desta esclarecer os seguintes fatos:

1 – O aplicativo Central Animal é uma plataforma que ajuda pessoas de baixa-renda na marcação de consultas gratuitas e presenciais com veterinários qualificados e preparados para cuidar da saúde de cada animal;

2 – Não existe nem nunca existiu atendimento veterinário online. Se aqueles que nos acusam inverídica e injustamente procurassem conhecer a ferramenta, saberiam que o atendimento online se restringe à marcação de consultas e castrações. Como protetor , defensor, e representante do Poder Público, jamais permitiria ou tomaria qualquer iniciativa que infringisse a lei e, principalmente, agisse de forma irresponsável e inconsequente na assistência aos animais;

3 – O Conselho Regional de Medicina Veterinária mente quando afirma que faltei a uma reunião marcada por eles. De fato, a reunião foi marcada, mas por mim, como prova a foto anexa (passe para o lado), para discutir políticas públicas de defesa dos direitos dos animais. Por ter que cumprir com minhas obrigações em uma outra reunião, me atrasei para o encontro solicitado por mim com o senhor presidente do CRMV, e este realmente não aconteceu. Jamais fui informado de que o CRMV tinha intenção de tratar sobre este assunto, já esclarecido por mim em minhas redes sociais.

 

Em tempos tão difíceis de desinformação, onde todos estamos sujeitos a ser vítimas de falsas acusações e não ter direito de resposta nem tempo de defesa, a veiculação dessa fake news tenta atingir não somente a mim ou à senhora Andreza, mas os autores dela, propositalmente ou não, acabam por descredibilizar a causa e os profissionais que apoiam a Central Animal e não se submeteriam a ter parceria com uma iniciativa que desvalorizasse sua profissão. Não espero responsabilidade de alguém que inventa uma mentira como esta para ganhar visualizações, no entanto, o CRMV ter responsabilidade em suas ações não é questão de mera expectativa, mas de obrigação. A mentira é passageira, mas a verdade perdura.

COMMENTS