São José da Coroa Grande ganhará parque marinho

Um parque marinho no Litoral Pernambuco. A iniciativa foi anunciada na sexta (27) pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuc

Lessa critica viagem de Bolsonaro em meio a desastre ambiental
Justiça ordena demolição de construção irregular na Orla de São José da Coroa Grande
Ipojuca – Secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano se reúne com representantes da APC
358cotidiano

Imagem: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Um parque marinho no Litoral Pernambuco. A iniciativa foi anunciada na sexta (27) pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco e vai beneficiar quatro áreas entre as cidades de São José da Coroa Grande, no Litoral Sul, a Goiana, no Litoral Norte. Orçado em R$ 2 milhões, o projeto, que reúne ações para preservação de unidades ambientais, incluindo áreas de naufrágios utilizadas na prática de mergulho, terá o edital de licitação divulgado na próxima semana. Os recursos serão provenientes do fundo estadual de compensação ambiental.

As intervenções serão divididas em três etapas: o diagnóstico, que compreende o levantamento de todo o espaço físico, a definição de uma proposta técnica e a criação de novas unidades de preservação ou redefinições das atuais. Se tudo ocorrer dentro do prazo previsto, as organizações deverão ser conhecidas em meados de junho. Em seguida, serão iniciadas as pesquisas.

“Queremos criar uma área protegida no litoral para evitar situações de desequilíbrio ambiental. Dividimos em quatro regiões que precisam de maior proteção”, esclareceu o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, Sérgio Xavier. Segundo o gestor, as pesquisas serão de incentivo à preservação marinha.

O primeiro trecho vai de São José, na divisa com Alagoas, até Sirinhaém. O segundo, de Sirinhaém até Jaboatão, seguido do terceiro, de Jaboatão a Paulista. O último segue até Goiana, última cidade do Litoral Norte. O parque marinho também deverá orientar a questão do turismo, identificando e definindo critérios para a exploração dos espaços, como o número de pessoas por período.

Fonte: Folha de Pernambuco – 28/02/2015

 

COMMENTS