Simone Santana destaca Centro de Recondicionamento de Computadores na Mata Sul

Simone Santana destaca Centro de Recondicionamento de Computadores na Mata Sul

Parlamentar também destacou apoio da Prefeitura de Rio Formoso para expansão de projeto

Radar Político (06/01) – PSB, PP, MDB e AVANTE devem eleger o maior número de prefeitos em 2020
No aniversário da Batalha do Reduto, Simone Santana participa de entregas em Rio Formoso
Marcando presença na convenção, prefeito Sérgio Hacker fala do apoio de Tamandaré a Paulo Câmara

INICIATIVA – Deputada disse que instituição já se consolidou no Recife e vem mudando a vida de milhares de jovens por meio da capacitação profissional. Foto: Roberto Soares

A instalação do Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC) – Polo Mata Sul, no município de Rio Formoso, foi comemorada pela deputada Simone Santana (PSB), em discurso na Reunião Plenária desta segunda (3). De acordo com a parlamentar, a entidade é fruto de uma parceria entre o Instituto Intercidadania e o Centro Marista Circuito Jovem do Recife, que, na Capital pernambucana, vem mudando a vida de milhares de jovens por meio da capacitação profissional em recuperação de eletroeletrônicos. Inaugurado em novembro, o CRC Mata Sul já tem 40 alunos inscritos e receberá resíduos eletrônicos de toda a região para que sejam recondicionados e doados a instituições públicas.

A deputada destacou o papel do CRC na formação de técnicos em reciclagem de produtos eletrônicos. “O centro recebe alunos em situação de vulnerabilidade social, que de lá saem preparados para o mercado em setores estratégicos e conscientes da importância de uma mudança de hábitos de produção e de consumo”, apontou. Os produtos recondicionados em Rio Formoso serão destinados a telecentros, bibliotecas e escolas públicas da Mata Sul. Para Simone, a iniciativa vai movimentar a economia local e oferecer a oportunidade do primeiro emprego aos cidadãos.

A parlamentar também ressaltou a importância do CRC na promoção da “economia circular”, que busca manter os recursos em uso o maior tempo possível. “Recuperar produtos em todo o seu ciclo de vida é um sistema que rompe os paradigmas do processo produtivo linear e exige de nós uma mudança substancial de comportamento”, comentou. “No caso do CRC, essa mudança ocorre também com a criação de oportunidades para milhares de jovens”, destacou.

Em dez anos, o apoio do Governo Federal aos Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs) já resultou na recuperação de 16 mil equipamentos de informática e na formação de oito mil jovens em situação de vulnerabilidade social. O programa, que integra a política nacional de inclusão digital, funciona por meio de parcerias do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações com entidades responsáveis por executar as ações de formação e recondicionamento de equipamentos.

Atualmente, o ministério conta com nove CRCs parceiros. Os centros atuam em três frentes: recuperação de equipamentos de informática; formação de jovens em situação de vulnerabilidade social; e descarte adequado de resíduos eletrônicos. Esses espaços capacitam jovens por meio de oficinas, cursos e atividades práticas. Os participantes aprendem a trabalhar com tecnologias da informação e comunicação, por meio dos processos de recepção, triagem, recondicionamento, estoque, descarte e entrega de equipamentos.

No Recife, o CRC funciona no bairro de Apipucos (Zona Norte), desde 2009. Em nove anos de história, mais de 15 mil pessoas já receberam formação no local, e cerca de 500 toneladas de lixo eletrônico foram recolhidas por ano. Além de recondicionamento de computadores, impressoras e celulares, a unidade oferece aulas de Robótica Pedagógica. Outra atividade promovida são as “oficinas de meta-arte”, em que resíduos de equipamentos eletroeletrônicos classificados como sucata são transformados em obras de arte.

Fonte: Alepe

COMMENTS