Simone Santana pede urgência na instalação da Delegacia da Mulher de Ipojuca

Saiba mais informações clicando no link

Clarissa Tércio debate ações de violência doméstica com magistrada
Delegada Gleide Ângelo propõe um mês inteiro dedicado a defesa das mulheres
Delegada Gleide e Felipe Carreras apresentam projeto pela criminalização da Violência Patrimonial

Por meio da Indicação de número 3747/2020, publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (24), a deputada estadual Simone Santana (PSB) pediu celeridade na implantação da Delegacia da Mulher de Ipojuca, sobretudo neste contexto de confinamento. Além do pedido formalizado à Assembleia Legislativa e ao Governador do Estado e seus secretários, a parlamentar também reforçou a demanda no seu discurso da sessão plenária dessa quinta-feira (23).

A instalação da unidade no município está incluída nas medidas previstas pelo Decreto Nº 32.366/2008, que prevê a criação de Delegacias da Mulher no interior. Ipojuca é um dos maiores municípios do estado, que é referência para toda a região do Litoral Sul. Casos de abuso e exploração sexual ainda são predominantes na região, sobretudo por seu caráter turístico.

Simone Santana reitera a importância da criação da delegacia especializada no município. “Sei que muitos dos serviços e obras previstos pelo Governo do Estado foram adiados e colocados em segundo plano diante da gravidade desta crise. Mas destaco que o combate à violência doméstica precisa permanecer como prioridade neste momento em que as vítimas estão confinadas em casa com seus agressores. É preciso redobrar os esforços”, afirmou.

Para ela, as medidas de proteção contra a violência doméstica precisam ser ampliadas e interiorizadas, pois muitos casos de violência no interior do estado não são notificados devido as vítimas não encontrarem um atendimento adequado. “Quando a mulher vai denunciar seu agressor, ela espera um atendimento humanizado, acolhedor e seguro. O ideal é que essa recepção seja feito por uma mulher, o que não é realidade de muitas delegacias no país, já que são compostas majoritariamente por homens. Então, as ipojucanas e mulheres do entorno necessitam ter esse direito garantido”, finalizou a deputada.

COMMENTS