Teich pede demissão após menos de 1 mês no governo Bolsonaro

Saiba mais informações clicando no link

Auxílio emergencial: Governo publica calendário de pagamento da 2ª parcela
Projeto de lei do senador Fernando Bezerra aumenta pena para violência doméstica e agressor poderá ser preso preventivamente
Fernando Bezerra Coelho articula R$ 49,8 milhões para municípios de Pernambuco enfrentarem pandemia

Imagem: Júlio Nascimento/Divulgação PR

O ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu demissão hoje do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Uma coletiva de imprensa está marcada para esta tarde para esclarecer a exoneração. A saída do ministro acontece menos de um mês após ele substituir Luiz Henrique Mandetta na pasta, e sua saída já vinha sendo cogitada havia alguns dias.

No momento em que a demissão de Teich foi anunciada, Bolsonaro estava participando do lançamento de uma campanha de conscientização contra a violência doméstica feita pelo Ministério da Mulher e da Família. Ele estava acompanhado de sua mulher, Michelle Bolsonaro, e dos ministros Onyx Lorenzoni e Damares Alves e não falou no evento. Um dos nomes cotados para assumir o comando do ministério da Saúde é justamente o atual número 2 da pasta, o general de divisão Eduardo Pazuello.

Nelson Teich já é o segundo ministro da Saúde que cai em plena pandemia do novo coronavírus. Luiz Henrique Mandetta, que estava no cargo desde o início do governo Bolsonaro, deixou o ministério da Saúde no dia 16 de abril, colocando fim a uma gestão marcada pelo embate com o presidente sobre o combate covid-19. A defesa do ex-ministro para que o país seguisse as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para brecar a proliferação da doença no país gerou atrito com Bolsonaro, que é a favor da tese de que a economia não pode parar e que apenas uma parcela da população deveria ficar em isolamento. O apoio público do presidente para o uso da cloroquina também foi outro motivo de discordância entre os dois.

Fonte: UOL

COMMENTS