Virada de ano dará start na corrida pré-eleitoral de 2020 – Por Marcelo Velez

Saiba mais informações dos bastidores da política pernambucana clicando no link

Radar Político (09/01) – Avante não estaria satisfeito com o PSB no Recife
RADAR POLÍTICO (23/01) – Eduardo da Fonte inicia trabalho para montagem de chapas proporcionais para 2022
Coluna Política em Dia (10/08) – A volta por cima dos ex-deputados


Se alguns pré-candidatos já haviam arregaçado as mangas desde já a fim de se viabilizar como candidatos em 2020, a virada de ano deve acender de vez o pavio de quem quer concorrer a cargos eletivos no ano que vem.

Engana-se quem pensa que somente é preciso desempenhar esforço nos 45 dias de eleição oficial, sem haver nenhum tipo de trabalho anterior. O prazo para se filiar a alguma legenda é 4 de abril, 6 meses de antecedência do pleito, visto que, no Brasil, ainda não são permitidas candidaturas avulsas. Entretanto, há uma diferença notória entre simplesmente assinar uma ficha de filiação partidária e garantir a sigla para o lançamento da candidatura. Para auferir esta última conquista, é necessário, até o mês de julho, demonstrar tal musculatura que justifique uma candidatura para qualquer partido. Outro fato a se observar é que também não são permitidos dois candidatos pelo mesmo partido. Isso implica dizer que lançar um nome acarreta no fechamento de portas para outros acordos políticos dentro do mesmo cenário – e ninguém vai gastar tempo ou dinheiro com projetos inviáveis. A limitação do uso dos fundos partidário, eleitoral e especial para o financiamento de campanhas também deve forçar as agremiações a eleger seus projetos prioritários. Por exemplo, em 2016, o PMDB conquistou 1026 prefeituras. Considerando que novos candidatos em cidades diversas surjam, será necessário avaliar em que situações haverá maior custo-benefício. Como num jogo, quem aposta melhor tem mais chance de vencer.

Confra – Orlando Jorge reuniu amigos e correligionários e deve mesmo marchar como candidato a prefeito de Limoeiro em 2020. Com apoio do deputado federal Ricardo Teobaldo e do deputado estadual Gustavo Gouveia(DEM), Orlando também reuniu os ex-prefeitos Thiago Cavalcanti(PODE) e Zé Artur. Ele deve enfrentar o prefeito Joãozinho(PSB), que buscará a reeleição.

Legenda – Em se consolidando como candidato a prefeito do governo federal em Recife, o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto precisará ter alguma legenda na manga caso o partido Aliança pelo Brasil não obtenha registro até 4 de abril, prazo limite para a filiação de quem quer concorrer a cargos eletivos.

Quais deputados devem romper com o Palácio em 2020?

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS