Coluna Política em Dia (10/08) – A volta por cima dos ex-deputados

Coluna Política em Dia (10/08) – A volta por cima dos ex-deputados

Confira mais informações sobre os bastidores da política pernambucana clicando no link

Radar Político (12-01) – Ferreiras perdem queda de braço para Sebastião e podem desembarcar da Frente Popular
Radar Político (20/03) – Davi Muniz pode perder controle do PEN para Pr. Eurico
Radar Político (19/09) – PSB tem na Mata Sul uma forte trincheira para 2018

Ao menos 3 ex-deputados federais devem ser candidatos a prefeito em 2020. Zeca Cavalcanti (PTB), Mendonça Filho (DEM) e Marinaldo Rosendo (PP). Para um político, o ostracismo é muito difícil, em especial quando a derrota em um pleito se soma ao fato de ser oposição ao grupo vencedor. Então, para Zeca, Mendonça e Marinaldo, lançar-se em candidaturas majoritárias pode representar a volta por cima caso saiam vencedores.

Zeca Cavalcanti foi prefeito de Arcoverde de 2005 a 2013 e conseguiu ser eleito deputado federal em 2014, também emplacando o irmão Júlio Cavalcanti como deputado estadual. O grande salto de Zeca, saindo de uma cidade mediana para a Câmara Federal, foi aparado quando ele não conseguiu ser reeleito em 2018. Tanto em 2014 quanto no ano passado, o ex-deputado havia apoiado o ex-senador Armando Monteiro (PTB) e isto contribui para que ele fosse ignorado pelo Palácio. Por outro lado, Zeca conseguiu ser o candidato a deputado federal mais votado no munícipio, superando até mesmo João Fernando Coutinho (PROS), que foi o candidato votado pela prefeita Madalena Brito(PSB). Pelas últimas movimentações, tudo indica que Zeca Cavalcanti deve entrar com competitividade na disputa, sobretudo após aproximar-se do ex-deputado estadual Eduíno Brito (PP).

Marinaldo Rosendo também foi prefeito e depois disso deputado. Eleito duas vezes para governar a cidade de Timbaúba, ele se filiou ao PSB para disputar uma vaga na Câmara Federal, de onde saiu exitoso, mas concorreu em 2018 pelo PP e foi derrotado. Mesmo filiado a uma legenda governista, Marinaldo optou por apoiar Armando Monteiro Neto no ano passado e acabou sendo ignorado pelos governistas na montagem do estado no início de 2019. A exemplo de Zeca Cavalcanti, Marinaldo também foi majoritário em Timbaúba como candidato a deputado federal, derrotando o candidato do prefeito, a quem faz oposição. Entretanto, ele não só teve mais votos como mais que dobrou a votação de Milton Coelho (PSB), hoje chefe de gabinete do governador Paulo Câmara. Embora tenha perdido força por não ser reconduzido à Câmara Federal, Marinaldo Rosendo será um páreo duro em 2020, mesmo que o atual prefeito, Ulysses (PSDB), conte com a máquina municipal e estadual consigo.

Por último, Mendonça Filho (DEM) é um político peculiar. Atravessando trajetória longeva, já foi deputado estadual, vice-governador, governador, deputado federal e Ministro da Educação. Com tantos cargos de destaque, para ele somente seria vantajoso ser candidato a prefeito em Recife ou Jaboatão – e olhe lá – porque qualquer outra cidade seria pouco para seu currículo e haveria vantagem maior na projeção de um mandato de deputado federal. Atualmente na planície, Mendonça tem se movimentado no sentido de ser mesmo candidato a prefeito na capital, apostando na ausência de nomes mais competitivos da oposição e, embora fosse derrotado, uma rivalidade com o candidato palaciano em Recife no mínimo o relançaria a deputado federal. Caso consiga entrar no pleito de 2020, Mendonça Filho poderia ser a opção de direita na capital, considerando que ele foi o senador mais bem votado na cidade, derrotando os dois candidatos do governador. Além disso, aproveitaria uma parte dos quase 400 mil votos que o presidente Bolsonaro (PSL) obteve em 2018 no primeiro turno.Mas, se, por outro lado, ele derrotar João Campos(PSB), tido como imbatível para a prefeitura no ano que vem, Mendonça estaria saindo do ostracismo para dar um recado claro ao PSB de que o mundo gira. Só o tempo dirá quem fica, quem sai e quem entra no jogo das cadeiras, mas a reviravolta é sobrenome da política!

Retorno – Afastado das urnas desde 2004, o ex-prefeito de Camaragibe, Paulo Santana(PCdoB), filiou-se esta semana ao PCdoB. Na possibilidade de ser novamente candidato, o ato de filiação reuniu diversos militantes e teve a presença até do Secretário de Meio Ambiente de Pernambuco, Marcelino Granja, que também preside o partido no estado. Na disputa de 2020 diante da falta de quadros consolidados.

Articulador – Por falar em Camaragibe, há na cidade um grande e respeitado articulador chamado José Luiz. Discreto e muito preciso, “Zé Luiz” tem amplo conhecimento sobre política e matemática, o que o torna muito procurado e referenciado quando o assunto é a montagem de partidos.

Troca de farpas – Os atritos entre o deputado federal Ricardo Teobaldo(PODE) e o prefeito de Limoeiro, Joãozinho(PSB), não param. Um acusa o outro de não trabalhar pela cidade e o antagonismo se estende até aos militantes dos dois grupos. Tudo indica que a disputa pela prefeitura em 2020 deve novamente ser polarizada por um nome do grupo de Teobaldo e pelo grupo de Joãozinho, com alguns nomes naturalmente correndo por fora.

Painho – O vereador do Recife, Rodrigo Coutinho (SD), conta com um robusto apoio para fortalecer uma chapa no partido que o reconduza ao cargo em 2020. Trata-se do pai e deputado federal Augusto Coutinho(SD). A fidelidade de Augusto ao Palácio e a força do mandato que ocupa devem pesar na hora da formação dos palanques e muitos têm apontado que o prefeito Geraldo Julio(PSB) vai acabar resolvendo a vida de Rodrigo.

PRTB no lugar do PSL – Muitas lideranças identificadas com a ideologia de direita estão acusando o PSL de ser muito burocrático e se direcionando ao PRTB para serem candidatos em 2020. Quem está gostando é o deputado estadual Marco Aurélio(PRTB).

Dúvida – Outro prefeito da RMR vai ser preso em breve?

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS