Coluna Política em Dia (24/08) – Cabo de guerra no PT

Coluna Política em Dia (24/08) – Cabo de guerra no PT

Fique por dentro dos bastidores da política pernambucana clicando no link

Lei de autoria de Alessandra Vieira garante prioridade de atendimento para emissão de documentos às mulheres vítimas de violência
Leis propostas por Alessandra Vieira ampliam direitos do consumidor
Alessandra Vieira solicita Audiência Pública para debater impactos que Polo de Confecções poderá sofrer com acordos comerciais entre Brasil e países asiáticos

O Partido dos Trabalhadores em Pernambuco era presidido por Bruno Falcão até fevereiro de 2019, quando ele renunciou ao mandato e o primeiro vice-presidente Glaucus Lima assumiu interinamente, sendo eleito em abril para o mandato-tampão. Bruno havia sido eleito presidente do diretório pernambucano em 2015 e reeleito em 2017, traçando larga estrada nas trincheiras do partido de Lula. Agora, o pontapé inicial foi dado pela campanha do deputado estadual Doriel Barros para a presidência estadual da legenda. Com o apoio do senador Humberto Costa, do deputado federal Carlos Veras e da deputada estadual Dulcicleide Amorim.

Doriel e Veras são neófitos na política, cumprindo sues primeiros mandatos. O movimento faz parte da manutenção do controle do comando do PT dentre o grupo que gravita em torno do senador Humberto. O nome de Doriel deve ser sacramentado pela corrente interna do partido Construindo um Novo Brasil (CNB).

Entretanto, na última quinta-feira, 22 de agosto, um grupo de petistas inconformados com a aliança entre PT e PSB no estado decidiram subir o tom e há grandes chances de haver bate chapa no Processo de Eleições Diretas pelo comando da sigla. Neste grupo, estão as deputadas Marília Arraes e Teresa Leitão, além das correntes Articulação de Esquerda, Coletivo PT Militante, Democracia Socialista, Esquerda Popular Socialista, Resistência Socialista e Tribo. Embora muitos apontem que a grande quantidade de apoios em torno de Doriel já lhe confere grande favoritismo na disputa, a dinâmica característica da política não permite descartar automaticamente o grupo revoltado.

Tomar o controle do partido no estado é o sonho de Marília Arraes porque lhe conferiria força para disputas futuras, mesmo que houvesse uma intervenção do Diretório Federal futuramente. Marília pretende ser candidata a prefeita do Recife em 2020, mas a proximidade entre o partido e o Palácio do Campo das Princesas é um entrave para o lançamento da candidatura dela. Inclusive, há especulações de que o PT pode novamente rifá-la caso haja a coalisão em torno da vaga de vice na candidatura de João Campos (PSB) a prefeito da mesma cidade. Nesta costura, Marília teria legenda negada para concorrer e não poderia migrar para outro partido porque levaria consigo o risco de perder o mandato por infidelidade partidária.

Teresa já presidiu o PT de Pernambuco e ocupa o quinto mandato consecutivo como deputada estadual. Já Marília é deputada federal cumprindo seu primeiro mandato eletivo, tendo sido rifada da disputa para o governo de Pernambuco em 2018 quando o Partido dos Trabalhadores optou por aliar-se ao governador Paulo Câmara(PSB) em troca de apoios para reeleger o senador Humberto Costa(PT).

Quem deve vencer o cabo de guerra? O grupo de Humberto, o grupo de Marília ou um terceiro grupo que está à espreita pronto para dar o bote?

Tábua de pirulitos – O prefeito de Inajá, Adilson Timóteo(PL), solicitou à Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos a recuperação com urgência da PE-336 que liga Inajá a Ibimirim, devido aos buracos e crateras que existem na extensão dos 52 km. Por todo o estado de Pernambuco, diversas estradas estão totalmente destruídas, atrapalhando a mobilidade de cidadão e o transporte de mercadorias ou serviços.

Ausência notada – A presidente do PSDB em Pernambuco, deputada Alessandra Vieira, comandou na manhã da última quinta, 22, reunião na sede do PSDB em Pernambuco para tratar sobre os rumos da legenda em Pernambuco. Participaram do encontro os prefeitos de Gravatá, São Joaquim do Monte e Vertentes; o vice-prefeito de Toritama, Romerinho Leal; e o vereador do Recife André Régis. Porém a ausência da prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, foi notada porque ela foi a única da cúpula do partido a não estar presente.

Ampliando – O deputado federal e líder do Cidadania na Câmara Federal, Daniel Coelho, reuniu-se com presidentes da sigla no sertão. O encontro contou com a presença de Geoge Arraes, vereador de Salgueiro; Elyzandro Nogueira, pré-candidato a prefeito de Serra Talhada e Sylvinha Cabral, pré-candidata a vereadora de Parnamirim. A estratégia é parte do processo de ampliação da legenda em Pernambuco. Caso não seja mesmo candidato a prefeito do Recife em 2020, a saída de Daniel para não cair ainda mais de votação em 2022 será aumentar o raio de influência em outras regiões.

Prestígio – O deputado federal Danilo Cabral(PSB) está de repouso devido a uma intervenção médica. Neste período, ele recebeu diversas visitas, dentre vereadores, prefeitos e muitas outras lideranças, numa grande demonstração do quanto é bem no meio.

Aposta – O jovem Alexandre Almeida (DEM) tem sido apontado por muitos interlocutores de Goiana como promessa para a Câmara de Vereadores em 2020. Inteligente, pró-ativo e muito articulado, Alexandre conta com apoio irrestrito da deputada estadual Priscila Krause(DEM) e já aparece em alguns levantamentos internos como candidato competitivo.

Mais um – O PSB conquistou mais um prefeito de Pernambuco com a adesão do gestor de Moreilândia. Eronildo Enoque deixou o PSDB e adentrou nas trincheiras do PSB palaciano, com a benção do deputado federal Tadeu Alencar(PSB).

Poder – Eduardo da Fonte, presidente do PP, estabeleceu como meta do partido a eleição de 10 vereadores no Recife. Atualmente com 4 parlamentares, a bancada do partido na capital pode ser bastante ampliada caso haja a montagem de uma chapa competitiva. Mas, se muitos vereadores forem eleitos pelos progressistas, há também grandes chances de emplacarem a presidência da Casa em 2021. Comandando a Alepe e a Casa José Mariano, que governará Pernambuco? O PSB ou o PP?

Distância – Tem circulado nos bastidores a informação de que o presidente Bolsonaro, após as diversas caneladas, tem 70% de rejeição em várias cidades de Pernambuco. Inclusive, a rejeição ao presidente disparou mesmo em cidades onde a votação foi expressiva no primeiro turno. Os gestores das respectivas cidades têm sido aconselhados a tomar distância da imagem do governo federal para que não haja uma influência negativa desnecessária.

Dúvida – Quantos prefeitos de Pernambuco vão se reeleger em 2020?

Escrito por Marcelo Velez

COMMENTS