Deputado Alberto Feitosa luta pela instauração da CPI “Quem deu a Ordem” na ALEPE

Saiba mais informações clicando no link

Radar Político (12/08) – PSB pode escantear PT para ajudar na eleição de João Campos
Feitosa faz pedido de informação ao Governo do Estado sobre uso daHidroxicloroquina e Azitromicina
Coronel Alberto Feitosa e Fred Ferreira usam bicicleta no Dia Mundial sem Carro e criticam dificuldades que ciclistas encontram na cidade

Durante sessão plenária desta quinta-feira (10), o deputado estadual Alberto Feitosa iniciou a sua fala ressaltando que há exatamente 12 dias que o governador do estado, Paulo Câmara, ainda não sabe responder a toda população pernambucana “Quem deu a ordem”? e certifica que o governo do estado não tem sido transparente nas investigações.
O parlamentar mostrou ao vivo do seu gabinete, durante sessão plenária, trechos da nota assinada por outros parlamentares dos partidos: PT, PSOL E PCDOB, gravadas nos anais da ALEPE a recusa em assinar a CPI. “ Fica claro que os partidos de esquerda PT, PCDOB e PSOL, que cobraram claramente saber “Quem deu a Ordem” não querem assinar a CPI e saber de fato quem foi o autor da ordem”, alega Feitosa.
Ao longo de sua fala, o Deputado enfatiza a importância da instauração da CPI e questiona: O que levou as autoridades a entregarem os cargos e não quererem mais trabalhar para o governador, Paulo Câmara?
Para o parlamentar, fica claro essa proteção ao Palácio do Campo das Princesas pelo partido de esquerda e frisa que está nas mãos dos mesmos a abertura da CPI, que tem a finalidade de esclarecer todos os acontecimentos de forma transparente dos últimos dias.
No decorrer do discurso e apartes, o Deputado Estadual, Alberto feitosa, se apropria de duas frases citadas no aparte da Deputada Estadual, Priscila Krause (DEM), onde diz “ Que governo é esse que não comanda os seus comandados” e “ Uma verdadeira Operação Abafa”, onde afirma está sendo montada na ALEPE, lamentavelmente pelo partido de esquerda. “Aqueles que gostavam tanto de apurar a verdade, dizem que seus correligionários que estavam na manifestação do dia 29 de maio em Pernambuco, a mando deles, são vítimas, mas se recusam em apurar e participar da apuração da verdade”, finalizou.

COMMENTS