Em ofício à Pacheco, Túlio Gadêlha pede devolução da MP que prejudica combate às fake news

Saiba mais informações clicando no link

Túlio Gadêlha visita São Vicente Férrer
Charbel diz não estar surpreso com desistências de Daniel Coelho e Túlio Gadelha
Em nota, Carlos Lupi confirma Isabella de Roldão vice de João Campos


Nesta quarta-feira (08), o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT) encaminhou ofício ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, reforçando o pedido de devolução da Medida Provisória número 1068 publicada pelo presidente Jair Bolsonaro na última segunda-feira, 6 de setembro. Enquanto membro da CPMI das Fake News, Gadêlha soma argumentos a outros pedidos realizados pela oposição afirmando que a MP tem o claro objetivo de criar obstáculos para que as redes sociais atuem contra a disseminação de conteúdo falso na internet.

“Essas atividades de moderação das redes têm sido uma ferramenta importante para preservação da qualidade do debate público nas internet, proporcionando incentivo à disseminação de discurso do ódio e de notícias falsas. Além do mais, a MP não atende aos pressupostos constitucionais de urgência e relevância”, explicou o pedetista.

Para Gadêlha, o presidente da república aproveitou que a atenção dos brasileiros se voltava para as manifestações do 7 de setembro, e sua convocação em tom antidemocrático para seus apoiadores irem às ruas, e publicou o texto da Medida Provisória.

“À véspera de “grandes manifestações” convocadas por ele mesmo, em apoio a si próprio e a uma pauta notoriamente antidemocrática, alinhada com seu histórico de atuação política. Foi muito oportuno para Bolsonaro publicá-la um dia antes de reforçar seus ataques ao Poder Judiciário. Fica evidente que o Presidente da República tem a intenção de legislar em causa própria, contribuindo para que ele e seus apoiadores consigam se blindar pelo uso indevido das redes sociais”, explicou Túlio.

COMMENTS